21 de Outubro de 2014

Um ano depois...

Passou um ano desde que a cadeira da presidência mudou de dono. O que mudou? O que ficou na mesma?
1 - O presidente continua a mandar muito mais do que todos os vereadores juntos. Antes tivesse secretários, e não vereadores (aliás, há até quem diga que o seu secretário tem mais voz no executivo que os próprios vereadores). - FICOU NA MESMA
2 - Continuam as placas e inaugurações (como o Adérito aqui retratou), embora o estilo deste novo "inaugurador" seja menos popular que o anterior, o que resulta até do seu estilo pessoal. - FICOU NA MESMA 
3 - A oposição continua simpática, e não se apresenta como verdadeira alternativa de propostas. -FICOU NA MESMA
4 - Os jotinhas continuam a ser os melhor colocados para assumir todos os cargos afectos (directa ou indirectamente) à CMP, e as pessoas com provas dadas "no mundo lá fora" continuam afastadas da coisa pública. - FICOU NA MESMA
5 - O Presidente da Assembleia Municipal já não se verga respeitosamente ao seu executivo, não permite que este faça o que bem lhe apetece nas próprias AM's, não fala para o seu presidente do executivo como um empregado muito subalterno fala para o seu patrão. - MUDOU
6 - As empresas municipais (as formais e as que parece que não são, mas são na mesma) continuam a servir para muito mais do que o seu objecto social. - FICOU NA MESMA

Base de dados municipal ilegal II

Em 26-08-2013, aqui escrevemos sobre a exigência da Câmara Municipal de Pombal de digitalizar os documentos dos utentes que ali pretendiam requerer certidões. Caso o cidadão não permitisse, não poderia obter a certidão. Consequentemente, tratava-se de uma base de dados ilegal.
Perante reclamação de um utente e as nossas críticas, a Câmara recuou, passando a aceitar a normal exibição dos documentos de identificação.

Agora, com o novo Presidente e as avenças dos juristas reforçadas, a exigência ilegal da Câmara Municipal voltou.

20 de Outubro de 2014

Novo livro da Maria Luis Brites

A Maria Luís Brites vai apresentar mais uma obra literária de sua autoria. Personagem peculiar, interventiva, nada consensual, é uma das figuras da cidade. Presença obrigatória de todos.

17 de Outubro de 2014

Engarrafamentos no trânsito II

No início e no final dos dias úteis, temos engarrafamentos à entrada e à saída da cidade de Pombal, para dar um aspeto cosmopolita à nossa cidade.
Na rua, na zona frontal ao espaço entre a Igreja do Cardal e os Paços do concelho, foram pintados uns traços junto à linha continua para privilegiarem os cidadão iguais aos outros que, provenientes do lado da linha férrea, pretendem voltar à esquerda para o parque privativo da Câmara Municipal, poupando-se-lhes assim a maçada de terem ir contornar a rotunda do Largo dos Correios. Alguns, com mais qualidade cívica, até aproveitam os tracitos no pavimento para mostrarem a sua destreza na condução e inverterem o sentido de marcha.
A passadeira em frente aos Paços do Concelho, não pode levar semáforos como as outras, porque tem de servir de “passeadeira” de até de passerelle.
Aos domingos, à hora da missa e sobretudo quando chove um pouco, temos vários carros parados em frente à igreja do Cardal, sobre os passeios e até no jardim do Cardal, com os condutores muito preocupados em evitar que os pobres crentes tenham de caminhar um pouco e de fazer algum sacrifício. A polícia não aparece, talvez para não perturbar a devoção da oração na hora do santíssimo sacrifício da saída da missa.

Neste último caso, vamos propor um policiamento com gratificados pagos pela paróquia, tal como pagam os clubes da religião do futebol. Nos outros casos, já nada podemos sugerir, para não termos de propor mudar as próprias pessoas…

13 de Outubro de 2014

A parábola do Filho Pródigo

A parábola do Filho Pródigo é, sem dúvida, a mais conhecida das parábolas de Jesus e aquela com quem os portugueses mais se identificam. Nela se relata o episódio de um filho mais novo a quem o pai deixa uma grande herança. O pródigo rapaz não descansa enquanto não derrete a massa toda e, quando se vê mais teso que uma meretriz na Quaresma, regressa a casa. Arrependido, pede desculpa ao seu pai que o redime de todo o pecado.

Como bons cristãos, tementes a Deus, estamos sempre disponíveis para transpor estes ensinamentos Bíblicos para o dia-a-dia. Por isso, quando um político ou um concidadão, de lagrimita no olho nos pede desculpa, abrimos os braços e com um "venham de lá esses ossos", esquecemos tudo. O problema é que os malandros já nos toparam e, vai daí, abusam da confiança. E aquilo que poderia fazer de nós uns bons Samaritanos, apenas nos transforma nuns imbecis, nuns tansos.

É assim que me tenho sentido ultimamente. Todos os dias alguém me pede desculpa e eu, em nome de Vosso Senhor Jesus Cristo, lá vou perdoando. Ele é o Crato, ele é aquela-senhora-com-ar-de-fadista. E até o nosso Victor Leitão, coitadinho, pediu desculpas!  Agora que os milhões sempre regressaram (não entendo como é que o BPI não pediu desculpa em tribunal!), também estou disposto a abraçar o camarada Victor, os gestores do BPI, o Eng. Narciso Mota, a malta toda da JSD. Mas o rosário não vai acabar por aqui! Ou muito me engano ou ainda vamos ouvir mais pedidos de desculpas a propósito da novela "Quem tramou o Arquitecto Reis de Figueiredo". Nessa altura, cá estarei, mais uma vez, para a todos
perdoar.

E como sei, caro leitor, que também vives segundo os ensinamentos da Santa Madre Igreja, perdoa a este pobre escriba o facto de ter estado quase dois meses sem ter dado notícias. Acredita que não foi por mal. Eu continuo a estimar-vos como dantes.

9 de Outubro de 2014

Estacionamento pago e PMU

A Câmara Municipal de Pombal não tem tramitado os processos de contraordenações por falta de pagamento das taxas devidas pelo estacionamento nas zonas assinaladas na cidade, no âmbito das competências delegadas pela ANSR ao abrigo do artigo 169º, nº 7 do Código da Estrada.
Para os infratores que pagam voluntariamente, a Câmara Municipal emite um recibo por pagamento do preço de prestação de serviços e não do valor da coima. Aos que não pagam voluntariamente, nada acontece. Estes ridicularizam os que pagam e criam a sensação de impunidade e de que se anda a brincar ao “faz de conta”.
Para ultrapassar dúvidas sobre a competência dos funcionários das entidades concessionárias, no caso de Pombal a PMU, foi hoje (09-10-2014) publicado do Decreto-Lei nº 146/2014 (https://dre.pt/application/file/58223699), o qual veio regulamentar as condições em que podem exercer a fiscalização através dos seus trabalhadores credenciados.

Porém, o referido Decreto Lei apenas entrará em vigor no dia 08-12-2014 e ainda é necessário um processo burocrático junto da ANSR para equiparar o trabalhador a agente de autoridade administrativa. Até lá, a Câmara Municipal continuará a não processar as referidas contraordenações? E depois, irá ter coragem para as processar?

7 de Outubro de 2014

ROMEU E JULIETA EM DIGRESSÃO PELO PAÍS


O Teatro Amador de Pombal vai levar o seu espectáculo «Romeu e Julieta» em digressão por várias salas do país, a começar já no próximo dia 11 de Outubro, sábado, em Idanha-a-Nova, no Estúdio de Teatro AJIDANHA, pelas 21h30, no âmbito do TeatrAmador 2014.

Integrado no 19.º ACASO - Festival de Teatro, o TAP está no palco do Teatro Miguel Franco, Leiria, no dia 16 de Outubro, quinta-feira, pelas 22h00.

Segue-se depois a Casa da Cultura de Santa Comba Dão, no dia 18 de Outubro, sábado, pelas 21h30.

Esta digressão encerra na Benedita, no Centro Cultural Gonçalves Sapinho, no próximo dia 25 de Outubro, sábado, pelas 21h30.

Com encenação de José Carlos Garcia e Nádia Santos, o espectáculo «Romeu e Julieta» vem reforçar o trabalho teatral desenvolvido pelo Teatro Amador de Pombal quanto à linguagem cénica e ao desempenho dos seus actores, com novos desafios em articulação com as técnicas dos encenadores convidados. Este será um espectáculo memorável e que não deixará ninguém indiferente.

Pessoas, ideias, acções e criações. Mais do que cimento e cortinas. Já era tempo de se aprender alguma coisa com bons exemplos como este.

30 de Setembro de 2014

Chapada de luva branca

Como expectável, o Arquiteto Reis Figueiredo não falou na AM. Se não o deixaram explicar-se e defender-se, no ponto da Ordem de Trabalhos – Regeneração Urbana / Demolição do Quiosque - agendado a seu pedido, que sentido faria falar no final da reunião?