3 de dezembro de 2012

Manif em Pombal


A cidade de Pombal assistiu, na tarde de domingo, a uma manifestação contra o projeto de agregação de freguesias promovida por interesses e motivações espúrias.
É certo e sabido que os portugueses querem reformas apenas quando tragam sacrifícios para os outros. Quando as reformas afetam os nossos interesses e hábitos, somos contra. Contra é a posição mais fácil e a mais comum de quem não sabe nem deixa governar-se. Aliás, sabendo que o celeiro da quinta está vazio e que os campos não são cuidados e não produzem, exigem mesmo assim que o quinteiro lhes dê cereais e não aceitam fazer poupanças nem abandonar os seus hábitos de luxo ou de esbanjamento acima dos recursos disponíveis…
Adelino Mendes, vereador eleito pelo PS e dirigente local do PS, não tendo credibilidade e aceitação entre os militantes do PS e entre as populações, viu a oportunidade de mostrar que estava ativo. Carlos Lopes, outro vereador eleito pelo PS e membro da equipa de Adelino Mendes, auxiliou na atuação. Adelino passa a ir às freguesias falar com os Pesidentes de Junta sobre os protestos.
Quinta-feira, uma presidente de junta fala com o vice-presidente da Câmara a pedir a poio. Sexta-feira, Carlos Lopes reúne com Narciso Mota para recolher apoio. Adelino Mendes, Carlos Lopes e uma presidente de junta vão incentivar e persuadir um presidente de junta da zona oeste a participar e a mobilizar as populações locais para a manifestação. Rodrigues Marques expõe ideias confusas e usa linguagem extremista, como lhe é habitual e regressando ao seu passado de esquerda.
Narciso Mota promete empenhamento e apoio jurídico nas manifestações e nas hipotéticas providências cautelares. O homem que tanto fala de disciplina, de coerência, de lealdade e de integridade para exigir apoio aos seus dislates e desmandos, nunca mostra tais qualidades em relação ao seu partido e aos respetivos dirigentes. Parece que tem medo de que o responsabilizem pela solução deste projeto de agregação, face à possível defesa da existência de alguma freguesia, e preferiu ir a reboque de Adelino Mendes e do PS. Aliás, há poucos dias afirmava a um jornal de Leiria que as soluções do projeto eram aceitáveis. Agora toma posição ostensivamente contrária, como a que vimos na televisão. Na hora da despedida, parece querer deixar um PSD fraco…
Diogo Mateus, que dizia estar a fazer um estudo exaustivo sobre as vantagens da agregação de freguesias no concelho de Pombal e se exibia como o grande estratega de tal agregação, de repetente, rasgou os “papéis” que escreveu e passou a defender o contrário daquilo em que dizia acreditar. Andou pelas freguesias a apoiar a contestação. Aliás, parece ter-se submetido às posições de Narciso Mota, pois adota posições diferentes sobre os vários assuntos em debate, conforme se encontra ou não perante o seu presidente. O objetivo candidatura à presidência da Câmara Municipal exige muito contorcionismo… Que coragem, coerência e credibilidade terá como candidato e como presidente?
Micael António, vereador sem credibilidade social e política, teve a oportunidade de se colar a esta onda de populismo e de irresponsabilidade e de mostrar que era útil: passou a ir às assembleias de freguesia apoiar a contestação.
Grande parte dos presidentes de junta de freguesia nada sabem sobre a génese e a história religiosa das freguesias. Nada sabem sobre as causas da existência anómala de dois “níveis” poder autárquico, freguesias e municípios, em confronto com os outros países europeus, onde apenas existem municípios. Nada sabem e também não se informam para poderem informar os seus fregueses…
Assim estão os políticos locais do PSD e do PS. Mais me preocupam e desiludem os do PSD…
Da minha parte, defendo a agregação de muitas mais freguesias. Depois, a eliminação de todas as freguesia e a transformação em municípios mais pequenos ou maiores, conforme as necessidades, tal como funcionam noutros países…

16 comentários:

  1. Acredito na política e compreendo as populações. Mas detesto o oportunismo (politico e pessoal) descarado e a hipocrisia extrema das criaturas que por cá (e não só) gravitam na política. Gente sem pensamento e coluna vertebral, que sobrevivem politicamente de expedientes, da exploração das vantagens dos cargos e do aproveitamento pessoal dos sentimentos e fraquezas das pessoas.
    É gente desta que nos tem conduzido para a ruína. Gente que não vê (ou não quer ver) dois dedos à frente da testa. Atuam sempre de acordo com a velha sina portuguesa: casa roubada, trancas na porta. O desconsolo maior é que eles sabem que a fórmula lhes tem dado sucesso!

    ResponderEliminar
  2. Perante tamanha salada russa, a mim já nem me espantaria que Narciso Mota fosse candidato à Assembleia Municipal...pelo PS. Ohhh, a fraternidade e o Natal estão na rua!

    ResponderEliminar
  3. Aguardo com alguma impaciência a tal Lei-Quadro que vem agrupar municípios. É que em cima de uma "reforma" mal feita (como bem diz o Adelino Malho, não deixando de compreender as populações, mas não posso deixar de achar que realmente só reformamos o que for dos outros, sendo esse um dos pilares da questão), virá mais uma reforma de régua e esquadro que conseguirá desestabilizar mais e descredibilizar ainda mais qualquer esforço de racionalização dos recursos que confiamos ao Estado, ajudando ao princípio do mudar qualquer coisita para manter tudo na mesma.

    Pelo meio, e voltando à "baixa" política: quem é que é apanhado na onda?
    - Pedro Pimpão que, na ausência de uma opinião assumida, foi triturado - alguém se lembra que é líder da Concelhia?
    - Rodrigues Marques que, atendendo ao seu papel no PSD, é ultrapassado pelos acontecimentos.
    - Guilherme Gameiro Domingues e Manuel António, dois políticos que, em 2013, seriam, pelas suas características pessoais e políticas, dois nomes com peso para qualquer contabilidade eleitoral.

    Quem ganha? Façam as contas. Mas a coisa é como o Malho a coloca: quem melhor cavalga a onda, por muito que seja de água suja é quem se safará.

    Eu também ainda acredito na política e que esta confusão toda podia ter sido evitada, com uma reforma na mesma. Reforma essa necessária, que fundisse e mudasse muita da realidade nas freguesias (as urbanas, por exemplo), mas que, sobretudo garantisse massa crítica e melhor gestão, atendendo a que já não estamos na época de Mouzinho da Silveira.

    E sobretudo que não se esquecêssemos que enquanto se discute uma fronteira local, há um futuro de um país que não é discutido.

    ResponderEliminar
  4. Quem tramou Pedro Pimpão, Guilherme Domingues e Manuel António?
    Essa é a questão que gostaria de ver respondida.
    Três promissores autarcas para 2013 que, desta forma, estão condenados na praça pública. Quem tem interesse em os "eliminar"?

    Já agora, quanto ao PS ainda não percebi qual o interesse do seu empenho nestas acções de protesto das freguesias. Alguém sabe se alguma vez os dois vereadores questionaram o Executivo ou fizeram alguma proposta de moção ou recomendação sobre o processo de agregação das freguesias?

    E porque tanto empenho na manifestação que foi realizada no domingo e que ficou muito aquém da expectativa? Sobretudo quando um dos vereadores do PS andou, à posteriori, a fazer declarações aos media por sua livre iniciativa?

    Vamos lá ser claros quanto às negociatas que envolvem este processo.

    ResponderEliminar
  5. Fui convidado, por varias facções, para esta manifestação e simplesmente recusei participar pois sou a favor que no nosso Concelho não era preciso mais de 5 Freguesias. Este tipo de actuações é só para dar nas vistas que andam a defender as suas quintinhas

    ResponderEliminar
  6. Rafeiro no Pombal - apenas para acrescentar que Pedro Pimpão tramou-se a ele próprio (na AR, na AM e neste processo). Quanto aos outros também gostava de saber.

    Sobre o PS, para além do natural aproveitamento em termos político-partidários, todas as questões acabam por ser legítimas. A ausência de respostas é que dá naquilo que o JGF e o Adelino Malho bateram.

    ResponderEliminar
  7. Vivi em Pombal durante vários anos, na altura como qualquer cidadão interessado na politica e nas politicas locais, informei-me quem eram, o que queriam, quais as principais ideias que tinham para o crescimento de tão simpatica Vila, por motivos pessoais e profissionais tive de sair, vendi a casa e lá fui à minha vida. Acontece que fica sempre qualquer coisa, e gosto de ler e ver o que vai acontecendo.... isto tudo foi há 8 anos.
    Acontece que a ler o post acima fico perplexo, 8 anos depois está tudo na mesma, os mesmos nomes, as mesmas ideias, a mesma forma de actuar, o mesmo vazio completo de ideias... nada se faz, nada se quer fazer.

    ResponderEliminar
  8. São os politicos da treta que temos. A reboque da populaça, sempre defendendo o mais fácil de defender. Mal punidos, ainda por cima.
    Maus politicos e maus eleitores (ou vice-versa), numa relação que parece interminável. Apre diabo!

    ResponderEliminar
  9. Boa tarde!
    Parabéns JGF, pela análise ex posição dos factos, eu faria melhor!

    O deputado Pedro Pimpão, ao meu ver, tomou a posição mais correta atendendo às responsabilidades que têm como deputado pelo partido no poder.

    Estranhei a ausência do Sr. Dr. Abel Brás, que como candidato à CMP, é virgem nestas coisas da política e muito bem aceite pelo povo, aliás têm tudo para ser um bom presidente.

    São sempre as mesmas caras e nada muda porque os partidos apenas servem para proteger os incompetentes, daí a fala de ideias.

    ResponderEliminar
  10. Amigo e companheiro José Gomes Fernandes, boa noite.
    Aceito o juizo de valor que fazes à minha pessoa.
    Mas muito antes do que tu, já eu tinha ideias consolidadas sobre a reforma autárquica, que não esta que nos foi imposta atabalhoadamente.
    Atacas, sabe Deus porquê, o meu companheiro Narciso Mota, de uma forma absolutamente gratuita.
    Atacas, sabe Deus porquê, o meu companheiro Diogo Mateus, de uma forma absolutamente gratuita.
    Atacas, sabe Deus porquê, o meu companheiro Micael António, de uma forma absolutamente gratuita e em termos pessoais.
    Explica lá o que é a credibilidade social?
    Será algum espelho que tens lá por casa?
    Afirmas que os nossos Presidentes de Junta são uns ignaros, incultos, burros, mas esqueceste que ganham as eleições, que fazem coisas boas para as populações que os elegeram, que reconhecem o seu trabalho?
    Outros, como tu, só obram.
    Enquanto Presidente da Concelhia do PSD perdeste a tua Freguesia de origem para o PS e não perdeste mais porque não te deram ouvidos.
    Nessas eleições não ganhei, mas adiante… Mas a seguir fiz o pleno: Lista única à Freguesia!
    Tu, enquanto cidadão disponível para dar opiniões, detentor da verdade, esqueceste que nunca se submeteste a sufrágio popular.
    Porquê?
    Deus lá o saberá.
    Mas todos sabemos que os teus métodos e processos não conduzem a nada de bom para o PSD.
    Valha-me Deus com tanto apoio e carinho que dedicas ao Partido Socialista.
    Deus te perdoe.

    ResponderEliminar
  11. Sr Eng
    Houve mais quem perdesse a sua freguesia natal.
    Deixe me que lhe diga que as guerras maus duras e dificeis que o Psd Pombal travou foi na liderança do Dr Fernandes... foram essas vitórias que consolidaram socialmente a gestão autárquica.
    Sobre tudo o resto darei a minha opinião na quinta-feira na nossa conversa de familia.

    ResponderEliminar
  12. Caro R Marques (e mandantes)
    As mentiras e as meias verdades, que também são mentiras, são os vossos argumentos.
    Quem fez um pacto com o PS de Adelino Mendes sobre a contestação à lei da reforma autárquica e quem anda a censurar publicamente o PSD és tu e os teus mandantes. Eu, pelo contrário, censurei o oportunismo político e o populismo do Adelino Mendes e a aliança que ele estabeleceu contigo e com os teus mandantes, comprometendo e enfraquecendo o PSD.
    Quanto às minhas derrotas eleitorais, enquanto presidente da comissão política do PSD de Pombal, devo recordar-te (e aos teus mandantes) que, naquelas eleições autárquicas, o nosso candidato perdeu a junta de freguesia de Carnide, mas que, pela primeira vez, ganhámos 16 das 17 juntas de freguesia e que, pela primeira e única vez, o PS não ganhou qualquer junta de freguesia. Mais te informo (e aos teus mandantes) que, para mim, não é mais importante ganhar eleições do que ter os melhores candidatos, os que têm as melhores qualidades e capacidades, os melhores projetos e, sobretudo, as melhores possibilidades de os executar. Para ti, para os teus mandantes e para muitos outros, isto não conta. Por isso, temos o país na ruína…
    Devo recordar-te (e aos teus mandantes) que nunca me aproveitei da atividade política para receber qualquer remuneração do estado ou de outras entidades. Antes pelo contrário, cheguei a prestar alguns serviços e não recebi honorários. É esta minha falta de telhados de vidro que te revolta a ti e aos teus mandantes até às entranhas... É isto que me permite ter autoridade moral para censurar os vícios que por aí vejo: nepotismo, favores, confusão de interesses, etc…
    Por outro lado, voltando aos resultados eleitorais, tu já perdeste as eleições para a junta de freguesia da tua terra e o candidato do PSD para a junta de freguesia de Meirinhas já perdeu as eleições, com o Narciso Mota a candidato a presidente da câmara municipal, não tendo eu extraído daí qualquer conclusão.
    Quanto à credibilidade social, tu sabes bem do que se falo, até porque também padeces do mesmo… Por isso não vou perder mais tempo com os teus disparates.

    ResponderEliminar
  13. Excelência

    Venho comunicar-lhe que já estou de volta.

    Nada de novo por Vermoil, esse Ferreira está calado.

    Recebi em mão a sua preocupação e dei instruções ao Luis Lourenço para colocar na linha esse tal "DBOSS", pode verificar que já escreve e diz o que se pretende, assunto arrumado.

    Devo dizer que o justíssimo prestígio de V.ª Ex.ª está na competência dos seus juízos verdadeiramente inibitório para a maioria dos homens públicos desta terra.

    De harmonia com os desejos de V.ª Ex.ª falei com o Rosa e, ele e o homem da Moncalva foram a Carnide e trataram do assunto "Zé Nandito".

    Se me fosse dado emitir uma opinião, falando com franqueza que me é imposta como dever pelo tempo de colaboração com V.ª Ex.ª e algum trabalho e sacrifício dado ao regime desinteressadamente, eu preconizaria o envio deste "Zé Nandito" para Peniche, funcionaria como exemplo.

    Creia V.ª Ex.ª na muita dedicação e amizade do seu discípulo e admirador

    ResponderEliminar
  14. As palavras estão na mão das novas gerações. O Ilídio Manuel, está a dar conta do recado. O Nandito está em tal forma,que nem para lá dos Urais deixa de ouvir. Creio que, por mais Valente, as missões não surtirão efeito. Amanhã à noite estarei em Vermoil. Calado é que nunca. Calados é mais em Odeáxere. Que o regresso seja em força.

    ResponderEliminar

O comentário que vai submeter será moderado (rejeitado ou aceite na integra), tão breve quanto possível, por um dos administradores.
Se o comentário não abordar a temática do post ou o fizer de forma injuriosa ou difamatória não será publicado. Neste caso, aconselhamo-lo a corrigir o conteúdo ou a linguagem.
Bons comentários.