15 de dezembro de 2010

Fotografias

Na última edição de O Correio de Pombal, é noticiada a visita de Adelino Mendes e José Miguel Medeiros a Vila Cã. Presente no "acto" estava também o Joel, membro da Assembleia de freguesia por ter sido o candidato (derrotado) do PS.
Se a presença de um deputado não diminui o brilho da iniciativa (antes o deveria, supostamente, engrandecer), o facto é que estas presenças causam dúvidas no eleitorado. Por capricho (ou não), Adelino Mendes estava mais próximo de Medeiros, e mais longe do Joel. Como se de uma ilustração se tratasse. Um registo gráfico das dúvidas (legítimas ou não, não me quero pronunciar) do eleitorado. Estas dúvidas costumam ter repercussão nas urnas e o PS bem o sabe (ou deveria saber).
Por oposição, veja-se a fotografia da visita de Narciso às freguesias. Sem figuras nacionais. No meio dos presidentes de junta e outros populares. Narciso ensina, e o PS não aprende, é o que é. Também por aqui se ganham (e perdem) eleições.

35 comentários:

  1. Gabriel, não te julgava tão proximo do PSD, sera que daqui a 3 anos é mesmo o Candidato Bombastico que o Partido precisa para tentar ganhar passados 8 anos ?

    ResponderEliminar
  2. A política não é um lugar para se "Ser", mas um lugar onde se pode "Estar". Em razão de algumas experiências que conheço, posso estar enganado, mas costumo pensar que quem deixa profissão para se dedicar à política e resiste a regressar à profissão e ao meio onde se “pertence”, dificilmente será bom profissional ou bom político. Isto no sentido de fazer da política um exercício da vocação de servir à realização do bem público, continuando a agir como quem é, e sabe estar, no meio do povo. Essa é uma das virtudes que Narciso Mota tem, e não deverá ser fácil a qualquer força política encontrar - neste aspecto - quem se lhe compare, nem escola para o formar.

    ResponderEliminar
  3. Próximo do PSD? Se fosse, não estaria preocupado com os erros (crónicos) do PS concelhio.
    Quanto à candidatura que me insinuas, é disparate puro (a suposição é quase ofensiva). Nunca me viste com bandeiras do PSD (nem do PS, de resto). Sou transparente nas minhas posições politicas. Olhar para o meu post dessa forma é ler sem perceber, ou tentar deitar uma absurda cortina de fumo sobre o assunto.

    ResponderEliminar
  4. Caríssimos:

    Em primeiro lugar é fundamental realçar a existência de uma iniciativa que vai encontro das pessoas, na sua freguesia, permitindo assim que haja alguma proximidade e conhecimento das reais queixas que existem, das fragilidades, e fundamentalmente, das propostas apresentadas por aqueles que realmente conhecem os problemas e as potencialidades da comunidade em que estão inseridos.
    Após uma apreciação geral da iniciativa, parto para os aspectos político-partidários da mesma. O PS mostra assim actividade, e vai inteirando-se de algumas questões que não chegam às paredes da sua sede na primeira pessoa. Todavia, questiono tratar-se de uma actividade do Partido Socialista, ou de uma actividade do Adelino Mendes, não só enquanto Presidente da Concelhia e vereador, mas também (e muito) como chefe de gabinete do secretário de estado da protecção civil. Digo isto porque não noto uma grande presença socialista nestas e actividades e também pelas referências frequentes ao facto de haver proximidade com o governo.
    Relativamente ao convidado, José Miguel Medeiros, não creio ser assim tão importante quanto se possa dar a entender, uma vez que em termos de conteúdo tem deixado muito a desejar, resumindo-se à posição que ocupa.
    O Joel, apresenta os problemas e apresenta possíveis soluções, conhece o terreno, e pareceu-me ser uma pessoa importante para os destinos da freguesia de Vila Cã, e de Pombal.
    Parece-me que grande parte do eleitorado não tem dúvidas, os resultados nas urnas evidenciam que este PS não é solução (ou pelo menos o PS que existia há um ano e pouco, e que julgo ser o mesmo).
    Não disse, mas digo agora que estive presente em parte do "Fórum", apenas cerca de 1h, mas que me permitiu tirar algumas conclusões. Pelo contrário não acompanhei pessoalmente nenhuma das visitas de Narciso Mota às freguesias, assumida pena. No entanto a diferença de postura é evidente, pela posição e responsabilidade diferenciadas, pela abordagem aos fregueses e presidentes de junta, pelos seguidores da actividade.

    Permitam-me entrar agora nos comentários do Roque e do Gabriel Oliveira. Ainda não percebi a necessidade de agrupar as pessoas. No que respeita à Política, qualquer observação é imediatamente conotada como apoio a um partido.
    E mais do que isso, esta ideia estapafúrdia de que alguém que está atento ao que se passa à sua volta, que se preocupa com os destinos políticos, que comenta as opções, esteja a cultivar uma eventual candidatura ou participação política através de um cargo político é absolutamente destrutiva e muitas vezes sem fundamento.
    Estes preconceitos afastam as pessoas da política, porque as pessoas com capacidades e potencialidade, fazem a sua vida noutros sentidos (excepto se tiverem uma certa dose de masoquismo), para não terem que levar com a ingratidão nem terem que levar com o veneno dos que pensam fundamentalmente no poder.
    Há muita gente a estragar o que podia ser tão nobre, a política. Podem guerrear à vontade e conseguir muitas coisas, mas não acredito que vivam de consciência tranquila, nem que estejam realizados enquanto pessoas.

    ResponderEliminar
  5. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  6. Desculpem a repetição, acho que o meu portátil está a tentar valorizar-me excessivamente pela repetição.

    ResponderEliminar
  7. JA, eu conheço bem o Gabriel, tanto que a farpa que lancei, ja sabia qual seria a reacção dele. Foi só para o baralhar, pois o Sr. seu Pai, sempre foi de centro-esquerda e agora pertençe á bancada do PSD, na JFL. Como sei que o PSD no Louriçal praticamente acabou, pois se verificar na bancada da AF, consta um CROMO do PSD, e os restantes até ja fizeram parte de Juntas PS, inclusivé ha um que ja foi Presidente da Junta pelo PS. Pelo que sei, o Sr. ZÉ (Casaquinho á musico) deu cabo do PSD no Louriçal, perdendo 2 vezes seguidas. Portanto agora para ganhar o Louriçal, o PSD vai ter de ir buscar gente á esquerda. Por isso lancei para o ar o meu amigo Nuno Gabriel, pois sei la...a politica tem segredos insondaveis

    ResponderEliminar
  8. Não vou responder pelo "sr. meu pai", mas confirmo que ele já integrou listas para as autárquicas quer pelo PS quer pelo PSD. Facto que não é inédito na vila, meu caro Roque, como bem saberás. Contudo (e porque apesar de parecidos e de gostar muito e me orgulhar do meu pai, eu não sou ele - e vice-versa), resguardo-me na minha "teimosa constância" (perdoe-se-me o pleonasmo.
    De resto parece-me que nos desviamos do assunto do post, e esse é que tem piada. Muito mais piada do que mudanças de partido ou a minha "não pertença ao PSD"...

    ResponderEliminar
  9. O PS nacional, na pessoa do deputado Medeiros visitou Vila Cã. Será que se poderá colocar a hipótese de o referido deputado estar a perfilar-se como futuro candidato a Presidente da Junta de Vila Câ, ou a Presidente da Câmara de Pombal? Ou será delírio meu? Agora a sério. Só os instalados ( bem instalados ), para mal da nossa "democracia", é que poderão fazer estas incursões, uma vez que, os eleitores da área do PS, enquanto houver governança PSD, estão possuídos pelo medo de enfrentar, criticar o nosso poder local. Tenho quase a certeza que na altura da elaboração das listas para as próximas autárquicas, o PS irá, como de costume, sentir enormes dificuldades em encontrar personalidades credíveis para a disputa eleitoral. A grande questão é a seguinte: o que o PS local poderá fazer para acabar de vez com o clima de temor reverencial que o eleitorado tem relativamente ao nosso poder autárquico.

    ResponderEliminar
  10. Que questão, pertinente, essa, camarada Leitão.

    ResponderEliminar
  11. Não me parece que haja temor em relação ao poder autárquico em Pombal.

    ResponderEliminar
  12. Companheiros, boa noite.
    O meu espírito espanta.
    Mas que raio de conversa mais desconversada é que os meus amigos(as) estão a ter.
    Parece mais uma algaraviada do que uma conversa.
    Ainda se falassem sobre o Dr. Carlos Encarnação, hoje ainda Presidente da Câmara Municipal de Coimbra, ainda vá que não vá.
    Agora falarem dessa forma da mui nobre e antiga Vila Chã, ora Vila Cã.
    Valha-me Deus.
    Abraço.

    ResponderEliminar
  13. Camarada Leitão,
    A minha primeira sugestão é que se afirme MESMO como uma alternativa. Que congregue os que pode congregar, para depois chegar aos que "temem ser congregados", se bem te percebi.
    A minha questão é ainda mais radical: o PS quer efectivamente chegar ao poder, na CM de Pombal? Antes disso respondido, tudo o resto é estéril. E se a resposta for afirmativa (não sei se é), seria útil que o transparecesse ao povo/público/eleitorado/munícipes...

    ResponderEliminar
  14. Boa tarde!
    Caro Gabriel já há muito que não via um post seu com tanta clareza!
    Efectivamente, para se fazer política, é necessário estar equidistante dos fediveres políticos para se colocar assim a questão.

    Caro Roque não pense que a esquerda se instalou no Louriçal, a semente está lá é necessário alimentá-la e todos zig zags do eleitorado do Louriçal são sinónimo de maturidade política. O povo está a votar nas pessoas, se assim não fosse o Sr. Eng Narciso, para si pessoa não grata, não teria ganho na sua terra.

    Não há dúvida que as eleições só podem ser ganhas em quatro anos e, em situações adversas, como Pombal, são necessários muito mais anos.
    Ter iniciativas isoladas ou mal programadas vale mais estar quieto, +e um mau serviço à democracia.

    ResponderEliminar
  15. "Não há dúvida que as eleições só podem ser ganhas em quatro anos e, em situações adversas, como Pombal, são necessários muito mais anos.
    Ter iniciativas isoladas ou mal programadas vale mais estar quieto, +e um mau serviço à democracia."
    DBOSS das duas uma -ou está a ser maldoso ou anda distraido. O PS de Pombal tem vindo a realizar muitas iniciativas como aquela que o Gabriel salientou. Pombal, Almagreira, Louriçal,Redinha, Abiul, Vila Cã já tiveram este tipo de trabalho autarquico e não de preparação de eleições como se possa pensar. Já por cá passaram os 4 deputados eleitos pelo PS no distrito de Leiria e a saber - José Miguel Medeiros, João Paulo Pedrosa, Odete João e Fernando Gonçalves embuidos num espirito de servir as populações do nosso concelho e se a concelhia do PS não consegue fazer mais é porque não lhe é possivel. Agora o que tem feito com a liderença do Adelino Mendes é de qualidade. Pena é que os fregueses e/ou municipes tenham receio de participar mais amiúde nestas iniciativas. Se vãi dar em alguma coisa? Pelo menos dão para conhecer o trabalho dos autarcas eleitos nas listas do PS e as suas propostas de futuro. Bom ou mau? o tempo é julgador desse desiderato e aguardemos pelas respostas. Agora o PS Pombal tem é de se preocupar com o seu trabalho de casa por forma a ser uma alternativa em que as pessoas possam acreditar. Andamos pelo terreno tal qual outros o fazem e não nos acusem disso também.

    ResponderEliminar
  16. Amigo e companheiro Fernando Carolino, boa noite.
    Onde raio é que tu tens andado?
    Onde raio é que os Senhores Vereadores do Partido Socialista têm andado, que ninguém os vê?
    Onde raio é que os Senhores Membros da Assembleia Municipal da Bancada do Partido Socialista têm andado, que ninguém os vê?
    Onde raio é que os Senhores Deputados do Grupo Parlamentar do Partido Socialista têm andado que só a comunicação social é que os vê?
    Hoje mesmo, o Engº Narciso Mota, acompanhado de uma sua Senhora Vereadora, Dra. Ana Gonçalves, e de um seu Senhor Vereador, Dr. Micael da Mota António, fez o périplo dos Lares e dos Centros de Dia.
    Onde é que estão os outros? Um que seja para a excepção. Pergunta-se.
    Se me prometeres guardar segredo, segredo-te que um Senhor Vereador do Partido Socialista, de seu nome Dr. Carlos Lopes, nado e criado em Albergaria dos Doze, Presidente da Mesa da Associação Centro Social do S. Pedro, em Albergaria, não se dignou comparecer na festa dos nossos idosos no Centro Social, de que é mui digno Presidente.
    Mas o Presidente da Câmara estava lá e acompanhado dos seus Vereadores.
    Aposto dez contra um que amanhã, Segunda-feira, dia 20 de Dezembro dC, pelas 10 h, que nenhum socialista estará no Largo do Cardal para integrar a iniciativa do Região de Leiria.
    Nós vamos estar, em grande número, como é hábito, para apoiar aquela iniciativa.
    Socialistas… nem vê-los lá. Só no jornal.
    Mas estará lá o CDS e, concerteza, para dizer, alto e bom som, quem é o Vereador do PSD (um nome!) que pediu para integrar as listas do CDS.
    Isto é como nos antigos casamentos (os, agora, do PS são diferentes) ou falas agora, ou te calas para sempre!
    E é melhor calarem-se para sempre, já que a táctica é meio suicida.
    Abraço.

    ResponderEliminar
  17. eng. ainda há quem trabalhe não em politica mas para outrém e tem graça que em outras actividades menos politicas os srs vereadores e membros da assembleia municipal do PSD não aparecem e mesmo o que aparece (sempre o mesmo) é tarde e com desculpas... pois às 10.00 h o telemovel reencaminhava para as mensagens e Leiria não é já ali na Gonçalves Figueira... quem está no governo do concelho bem pode dar ao luxo de fazer esse tipo de actividades, até nocturnas com os resultados que se conhecem... mas folgo em saber que enquanto por aí andam se dedicam à causa uns de manhã uns outros de tarde sempre depois das 14:00 horas..."fixe?" - se for um bom ouvinte e leitor entende. abraços fraternais!

    ResponderEliminar
  18. O número de comentários reflecte a subjectividade e polémica do assunto, e não a sua relevância, Alegria.

    ResponderEliminar
  19. Companheiros, boa noite.
    BINGO!
    O produto da venda de “O Região de Leiria” de hoje, em Pombal, destina-se à APEPI.
    Dos socialistas, nem sombra. Estava escrito nas estrelas.
    Os do CDS, só de passagem.
    Compreendo que os do PS não gostem da APEPI, mas os do CDS já não compreendo tanto e tinham tanto para dizer.
    Abraço.

    ResponderEliminar
  20. Camarada João Coelho, boa noite.
    É, é!
    Não deve ser isso. É mesmo.
    Vê só.
    O saudoso Engº Guilherme Gomes dos Santos, enquanto Presidente da Câmara, construiu a APEPI onde ainda hoje está.
    Junto ao Mercado das sardinhas.
    É a Praça do Arnado, eu sei.
    Mas foi uma coisa mal amanhada e que muitos socialistas reprovaram.
    Como reprovaram a construção, onde ainda hoje está, do Centro de Saúde.
    Coisas mal amadas.
    Feridas que estão por sarar.
    Abraço.

    ResponderEliminar
  21. Sr. Eng. Marques esse seu espirito natalicio este ano anda pelas ruas da amargura... Deve ser da crise....

    ResponderEliminar
  22. Companheiro António Roque, boa noite.
    É, deve ser isso.
    Abraço.

    ResponderEliminar
  23. Quando temos expectativas, é natural que sejamos mais críticos, mas infelizmente também é muito comum que o resultado seja a desilusão.
    Problemas há muitos, soluções também, nenhuma perfeita. Aqui está um grande problema, não há soluções perfeitas, não há decisões que agradem a todos, não há modos de acção que vão totalmente ao encontro das necessidades das pessoas.
    Ainda consigo encontrar um problema maior, que é quando permanecemos eternamente com a justificação de tudo com o problema da subjectividade e da diferença.
    Havendo linhas orientadoras e objectivos definidos, pelo menos garante-se a aproximação de um conjunto de pessoas que tenham afinidade com os mesmos. Não havendo nada disso, garante-se apenas uma aproximação muito reduzidas de pessoas com objectivos muito diferentes e incapazes de, em conjunto, edificar um projecto comum válido.

    "É, deve ser isso!", Valha-nos a pilinha do menino Jesus (Eng. Rodrigues Marques, em desespero de causa talvez Jesus seja a solução), que esta frase só me faz recordar a questão de moleza há uns tempos referida pelo Camarada Gabriel. Ainda acredito que possa ser apenas uma indefinição, ou posse de uma certeza que não se quer/pode assumir porque se estava a falar de uma estrutura na qual deve haver fundamentalmente debate interno.

    Relativamente a todas estas referências a actividades, a presenças e faltas nas mesmas, só vem corroborar com a opinião de que afinal o interesse político está patente mesmo nas causa mais nobres. Há excepções, felizmente.

    ResponderEliminar
  24. Levantas interessantes questões, JA! Não vou comentar todas com a profundidade que merecem, mas em relação ao penúltimo parágrafo, acrescento que a linguagem que sai PARA FORA do partido pode, muitas vezes, ser dissociada da linguagem PARA DENTRO. Se há debate interno (e acho bem que exista, e vigoroso), isso não "isenta" o partido de uma comunicação externa coerente. Claro que as pessoas, aqui (e não só) falam por si, e não necessariamente pelo partido. Não confundo o todo com a parte. Mas o todo tem que ter voz. Uma coisa institucional. E isso tem que passar... tem que ser legível para a população. Para se ganhar uma eleição, não basta ser mais inteligente ou mais competente. É fundamental é que os votantes percebas essas características.
    Em "técnicas de venda", diz-se que não se vendem produtos, mas sim benefícios (vantagens). O eleitor tem que perceber claramente qual é a sua vantagem por ter aquele tipo/partido como presidente da câmara. Clareza de linguagem, num sentido lato. Posições inequívocas. Discurso directo. Isto não custa nada, pois não, eng.º Marques?

    ResponderEliminar
  25. Amigos e camaradas JA e Nuno Oliveira, boa noite.
    Valha-me a pilinha do Menino Jesus e mais a mais que Jesus não é o treinador do meu clube do coração, mas sim o da razão. Mas, mesmo assim, o da razão não é esse.
    Porque o do coração é o ARCUDA.
    Vomecências são mesmo muito mauzinhos para com este vosso servo.
    Não vamos voltar, outra vez, ao “industrial” dos tamancos, pois não?
    Fico contente por reconhecerem, ambos os dois, que o Engº Narciso Mota tem clareza de linguagem, num sentido lato. Posições inequívocas. Discurso directo.
    É dessa massa que se faz um líder.
    Abraço.

    ResponderEliminar
  26. Caríssimo Engenheiro, agora é que temos aqui uma falha de comunicação. Primeiro não consegui descobrir em que ponto fui má e com quem. Depois, espero que não arranje problemas com a sua esposa pela partilha do seu coração com o Arcuda.
    Para além disso, gostava de perceber onde é que está o servo e de quem? E digo que mesmo que tivesse servo, não aprovaria a sua partilha com o Gabriel, até porque certamente ele preferirá uma serva!
    E que eu saiba não reconheci nada em relação ao Eng. Narciso Mota.

    ResponderEliminar
  27. Subscrevo a minha preferência por uma serva!
    Quanto ao reconhecimento dessas qualidades em Narciso Mota, também são inegáveis. Por muito que eu possa estar em desacordo em avárias matérias, não tenhamos dúvidas que Narciso Mota sabe exactamente como se ganham eleições. Os resultados são a melhor prova disso mesmo!

    ResponderEliminar
  28. Caro Gabriel, concordo quando referes que é importante haver coerência e clareza de discurso por parte dos partidos. No entanto, a dissociação entre a linguagem interna e a linguagem externa pode não ser necessariamente positiva, se levada ao extremo, uma vez que há o risco de se fazer “publicidade enganosa”. Defendo, não uma dissociação, mas uma complementaridade entre os discursos interno e externo.
    Não posso deixar de fazer referência a algo extremamente importante que disseste: "Claro que as pessoas, aqui (e não só) falam por si, e não necessariamente pelo partido. Não confundo o todo com a parte."
    Enquanto a maioria não perceber isto, continuaremos a lidar com preconceitos que só geram situações dúbias, e um afastamento dos partidos, não só pelas suas incoerências ou características, mas pelos rótulos e pelo desrespeito à individualidade por parte da sociedade envolvente.

    ResponderEliminar
  29. O Eng. Narciso Mota sabe, ou tem quem saiba, como se ganham eleições, portanto é basicamente manter a postura. Quando se sabe como se perdem eleições, manter a postura, significa voltar a perder eleições. Ganham os mesmos e perdem os mesmos, pela postura externa. Quanto ao conteúdo, é acessório.
    Cada vez mais, esta concepção é válida para quase tudo. Na minha opinião não serve.

    ResponderEliminar
  30. JA, claro que o Eng. sabe como se ganham eleições, porem considero os seus métodos tipo AMÉRICA LATINA. Criação de clientelas politicas e perseguição pessoal e profissional aos que ousam criticar. Isto é Democracia? Não creio. Por isso e como gosto de ser livre a bom tempo me afastei temporariamente das lides do meu Partido, continuando a pagar as quotas e exercendo os meus direitos/deveres de militante, mas contudo não entrando em rebanhos comandados por semelhante pastor

    ResponderEliminar
  31. 33-3???? Isso é o resulktado de que jogo de Hoquei em Patins?

    ResponderEliminar

O comentário que vai submeter será moderado (rejeitado ou aceite na integra), tão breve quanto possível, por um dos administradores.
Se o comentário não abordar a temática do post ou o fizer de forma injuriosa ou difamatória não será publicado. Neste caso, aconselhamo-lo a corrigir o conteúdo ou a linguagem.
Bons comentários.