22 de dezembro de 2013

ETAP “despede” aluna

Há cerca de 10 dias, na sequência do levantamento dos alunos que deveriam estar a usufruir da lei da Educação Especial, a ETAP “descobriu” (!) que uma aluna lá tinha ingressado sem habilitação, sem o 9º ano. Aquela lei é de 2008 (Decreto-Lei nº 3/2008) e só agora é que a ETAP se lembrou que a mesma existe!
A aluna não teria o 9º ano, em virtude de ter usufruído da última medida da Educação Especial, embora, apesar das grandes dificuldades de aprendizagem, tenha conseguido fazer todos os módulos e estivesse agora a frequentar o 3º ano, talvez devido ao facilitismo.
A diretora pedagógica, à revelia do Conselho de Turma e do Conselho Pedagógico, convocou a aluna e a mãe e, na companhia da psicóloga da ETAP e da orientadora educativa, comunicou-lhes que a aluna não podia frequentar o ensino da escola, pois tinha havido um erro da escola. Logrou obter a assinatura da mãe num documento para anular a matrícula, atendendo a que a aluna e a mãe são pessoas humildes e com fracos recursos, quer materiais quer culturais, e sem capacidade de reação e defesa, apesar da aluna ter um contrato de formação por três anos e, consequentemente, não poder ser excluída.
Aqueles podem decidir devem encontrar uma solução, para a aluna não ser vítima da crueldade e da desumanidade de quem apenas pretende limpar erros e responsabilidades. Talvez deva ser procurada uma solução ao abrigo da educação especial, como acontecia até ao 9º ano.

8 comentários:

  1. Boa noite
    Parece que para muitos dos leitores e participantes do FARPAS este post surpreendeu e mexeu com as emoções. Assim se compreende o silêncio… Eu próprio hesitei em escrever algo pois fiquei chocado com esta malvadez em vésperas de Natal.
    Há muito se comenta à mesa do café sobre o facilitismo quanto baste, desorganização e prepotência, mas nunca pensei que se pudesse chegar a tanto!
    Este “despedimento” parece ter todos os contornos de insensibilidade extrema e falta de bom senso, para não falar em incompetência .
    Onde estão os direitos da aluna? Se não é a instituição ESCOLA a proteger os mais frágeis, quem os pode proteger?
    Não se compreende como o novo elenco camarário tolera esta falta de respeito pelos alunos. Pensava que com a saída da Ana Pedro não se ouvisse falar mais da ETAP mas está visto que o Maquiavelismo permanece!

    ResponderEliminar
  2. Caro Carlos Afonso, foi propriamente por isso - ter ficado sem palavras - que não comentei, nem vou comentar o assunto. As acções ficam com quem as executa e quem as manda executar.

    ResponderEliminar
  3. Esta escola deve ser para CEIs (alunos de currículos específicos individuais), incluindo a direção.

    A aluna não tem culpa e deveria receber uns bons trocos, afinal andou lá 3 anos e fez todos os módulos .

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Bom dia
      Esta menina, pelo que acabo de ler, pela primeira vez encontrou uma área de estudos que gostava, logo, dedicou-se ao estudo de alma e coração, fez os módulos todos, como aqui é escrito, e em vez de ser acarinhada, enaltecida pelo feito é simplesmente corrida em processo sumário

      Pergunto:
      - onde entrou a direcção pedagógica da escola ?
      - onde está a acção social da escola ?
      . finalmente podemos dizer, das duas uma, ou a aluna é muito inteligente para aquela escola ou as competências do ensino da escola são fracas e de um baixo grau de exigência

      Eliminar
    2. Bom dia
      Esta menina, pelo que acabo de ler, pela primeira vez encontrou uma área de estudos que gostava, logo, dedicou-se ao estudo de alma e coração, fez os módulos todos, como aqui é escrito, e em vez de ser acarinhada, enaltecida pelo feito é simplesmente corrida em processo sumário

      Pergunto:
      - onde entrou a direcção pedagógica da escola ?
      - onde está a acção social da escola ?
      . finalmente podemos dizer, das duas uma, ou a aluna é muito inteligente para aquela escola ou as competências do ensino da escola são fracas e de um baixo grau de exigência

      Eliminar
    3. Também acabei de ler e estou estupefacto!
      Vindo a informação do JGF é claro que não se põe em causa a sua veracidade, mas que é difícil de engolir, ai isso é!...
      Está visto que na ETAP reina o autoritarismo em vez da autoridade, o que poderá assumir-se como o encapotamento da incompetência. Há dias soube da instauração de processos disciplinares a cerca de 20 alunos somente por reivindicarem o pagamento de subsídios em atraso. É obra!...
      Como apoiante desta Câmara, penso ter legitimidade para questionar:
      - O seu envolvimento no "despedimento da aluna
      - O seu envolvimento na instauração dos processos disciplinares
      - O porquê da autarquia manter esta Direcção Pedagógica, que a meu ver estará a prestar um péssimo serviço à autarquia e à própria escola.

      Eliminar
  4. Se posso perguntar digam lá a catraia andou na catequese e depois passou aos escuteiros?
    Tem aderido ás iniciativas festeiras no cardal organizadas pelo Brilhante?
    Digam á jovem que é fundamental saber estar, andar com uma bandeira vermelha pode tornar-se num equivoco, em vez de ser do Benfica alguém pode pensar que é do Partido Comunista.
    Alguma razão houvera para ser dispensada.

    ResponderEliminar

O comentário que vai submeter será moderado (rejeitado ou aceite na integra), tão breve quanto possível, por um dos administradores.
Se o comentário não abordar a temática do post ou o fizer de forma injuriosa ou difamatória não será publicado. Neste caso, aconselhamo-lo a corrigir o conteúdo ou a linguagem.
Bons comentários.