13 de dezembro de 2013

Há Dinossauros e Dinossauros

Narciso Mota esteve no poder durante vinte anos. Adelino Mendes esteve na oposição durante os mesmos vinte anos. Narciso Mota ganhou eleições atrás de eleições; e, se o deixassem, continuaria a ganhá-las. Adelino Mendes perdeu eleições atrás de eleições, e continuará a perdê-las.
Narciso Mota soube conviver com os críticos e alargou sempre o seu espaço político. Adelino Mendes viu sempre adversários nos militantes mais influentes e foi reduzindo, continuamente, o seu espaço político.
Narciso Mota foi sempre mais do que o partido. Adelino Mendes é o partido.
Narciso Mota sempre acreditou muito no que fazia (até demais). Adelino Mendes nunca acreditou no que fazia. E finalmente reconheceu-o publicamente: “devo acrescentar a ideia que já tinha quanto ao funcionamento de um órgão executivo com esta natureza colegial, também tenho que reconhecer com toda a frontalidade que não alterei nada à minha oposição, acho que os Vereadores da oposição, num contexto em que há um partido claramente maioritário vencedor das eleições não faz aqui nada neste órgão.”
Está explicado…, em parte!

13 comentários:

  1. Malho tens um dia que me explicar a tua azia com o PS. Não consegues perceber que és uma carta fora do baralho.

    ResponderEliminar
  2. Ha sempre uma ovelha... que nao tende o que o pastor quer...

    ResponderEliminar
  3. Mas em boa verdade foi com a Camara PS que em Pombal ocorreram mudanças estruturantes de relevo, refiro-me como é obvio ao tempo do saudoso Eng Guilherme Santos, pois se tivessemos tido sempre executivos PSD , ainda hoje estariamos a passar por cima dos carris da linha do norte, e ainda morria muita gente no cruzamento da N1 com a estrada para o Louriçal....aliás o alcatrão que hoje pisamos em Pombal , foi colocado nessa altura, e em muitos sitios, como por ex: em frente á CMP e no largo S. Sebastião se encontra num estado lastimavel...... Naquele tempo projetavam-se e executavam-se obras para servir a população..... hoje constroem-se esculturas......e relogios para os aviões...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Paulo, boa noite.
      Haveremos de falar sobre as monstrosidades que escreveu.
      Deus o perdoe, já que eu não o perdou-o.

      Eliminar
    2. Paulo, boa tarde.
      Ontem coloquei o comentário do meu smart phone, já estava deitado na minha cama, equipada com um colchão de água, que recomendo vivamente.
      Verifico que tem erros ortográficos, que agora corrijo.
      Desculpa.
      “Haveremos de falar sobre as monstruosidades que escreveu.
      Deus o perdoe, já que eu não o perdoo”.
      Paulo, vamos então falar.
      O saudoso Presidente Menezes Falcão, nomeado e não eleito, sem os dinheiros que as câmaras recolheram depois do 25 de Abril, rasgou a então Vila de Pombal para nascente, abrindo a Avenida, criando condições para que a iniciativa privada construísse o que lá está hoje.
      Construiu a Escola Comercial e Industrial de Pombal, agora Escola Secundária, o Quartel dos Bombeiros e o Hospital.
      Construiu a Zona Industrial da Formiga e foi, ao tempo dele, que o concelho ficou coberto com abastecimento de energia eléctrica.
      Iniciou o Parque Industrial Manuel da Mota, pretendendo trazer para Pombal uma das grandes fábricas de automóveis que então estavam a ser instaladas no país.
      E muito mais fez.
      O saudoso Presidente Joaquim de Almeida iniciou o abastecimento de água, à então Vila de Pombal, do Ourão, que só tinha água ao domicilio algumas horas por dia e de noite.
      Cada prédio tinha um depósito no Rés do Chão para a recolha da água da rede e um bomba hidropneumática para a elevar aos andares.
      Substituiu as canalizações de água de consumo doméstico subterrâneas da Vila de amianto para PVC ou galvanizado.
      Requalificou o Largo do Cardal.
      Ligou todas as freguesias por estradas.
      Deixou um parque de máquinas pesadas, todas novas, para o Engº Guilherme Santos.
      O saudoso Presidente Guilherme Santos transformou o Largo do Cardal numa plataforma rodoviária por onde tinha que passar todo o trânsito Norte-Sul, Este-Oeste.
      Lá se foi a sala de visitas da Vila.
      O Presidente Narciso Mota contribuiu para que o concelho fosse, no seu todo, mais urbano do que rural, drenando águas pluviais, construindo passeios, fazendo redes de saneamento, ETARs, recolha de resíduos domésticos, monstros e o diabo a sete.
      Na cidade fez o que se vê feito.
      Requalificou a margem ribeirinha do Arunca, construiu a Biblioteca, o Teatro, o Quartel-sede dos Bombeiros e o seu Quartel da Guia.
      Para além do asfalto colocado em todo o concelho ligou o Mar à Serra, velha ideia do saudoso Presidente Joaquim de Almeida, dando vida à Praia do Osso da Baleia.
      E muito, muito mais foi feito que não cabe neste pequeno apontamento.
      Óh Paulo, vai estudar!

      Eliminar
  4. Ja agora caro Malho se ainda é militante do PS e se acha que faz melhor que o Adelino Mendes porque é que não se candidatou á concelhia ? Eu não sou militante de nenhum partido não tenho direito a votar mas se fosse até votava em si só para avaliar a sua veia empreendedora.

    ResponderEliminar
  5. Roque,
    A minha suspeita é a seguinte: O Adelino Malho embirra com o PS de Pombal, porque gosta de bater em mortos. E se discordo do Malho muitas vezes, também concordo noutras. É o caso! :)

    ResponderEliminar
  6. Nuno Gabriel, boa noite.
    A questão é que o Adelino não gosta do PS, mas o Malho gosta.
    Dualidade da personagem.
    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tão boa, esta resposta, meu caro! :) gostei muito!

      Eliminar
  7. Sr Eng
    Não lhe conhecia essa sua vertente "gato fedorento"

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Boas
      O Sr. António de manhã é PSD e o Sr. Roque, de tarde. é do PS

      Eliminar
    2. Boas
      O Sr. António de manhã é PSD e o Sr. Roque, de tarde. é do PS

      Eliminar
  8. Amigo Roque
    Embora digas que não és militante do PS, parece que és mais que isso. Parece que és polícia política do PS.

    ResponderEliminar

O comentário que vai submeter será moderado (rejeitado ou aceite na integra), tão breve quanto possível, por um dos administradores.
Se o comentário não abordar a temática do post ou o fizer de forma injuriosa ou difamatória não será publicado. Neste caso, aconselhamo-lo a corrigir o conteúdo ou a linguagem.
Bons comentários.