31 de dezembro de 2015

O último a saber


Sempre achei que "Árvores Vivas" de Judite da Silva Gameiro foi do que melhor se fez em Pombal no que diz respeito à chamada arte urbana. Não sei se a Autarquia encarou o projecto como efémero mas, pelo que leio no Pombal Jornal, a artista sempre acreditou que a sua obra seria acarinhada por forma a poder durar mais do que um ano e meio. E eu também...

Aquilo que, no início, parecia ser uma bela história de amor entre a Câmara e os artistas locais, acabou (talvez sem surpresa) em traição. E nestas coisas da traição, já se sabe quem é sempre o último a saber.

Sem comentários:

Publicar um comentário

O comentário que vai submeter será moderado (rejeitado ou aceite na integra), tão breve quanto possível, por um dos administradores.
Se o comentário não abordar a temática do post ou o fizer de forma injuriosa ou difamatória não será publicado. Neste caso, aconselhamo-lo a corrigir o conteúdo ou a linguagem.
Bons comentários.