30 de maio de 2017

A (não) apresentação do Diogo

Diogo Mateus apresentou-se aos seus apoiantes, anteontem, no Cineteatro. Apresentou-se mas não apresentou nada; porque não quis ou porque não pode! O discurso do candidato foi (como bem sendo norma noutros candidatos) um conjunto de intenções e estados de alma contraditórios. O resto do evento foi uma mostra de vaidade falaz, com uns fazerem massagens de bálsamo no ego inchado do candidato, e outros a abusar de forma desajeitada da arte lisa e untosa de falar em contrário ao seu próprio intento.
Esperava-se mais de Diogo Mateus e do PSD. Esperava-se que partisse à frente porque é presidente da câmara. Logo, deveria partir com tudo, deveria ter já tudo. Parte como os outros: sem ideias e sem equipa. Mostra fraqueza. Não apresentou o cabeça de lista à AM, nem equipa vereadora, nem cabeças de lista às freguesias. Bem sabemos que está muito difícil encontrar um cabeça de lista à AM (vários declinaram o convite; o campo de recrutamento é muito reduzido; e pouquíssimos personalidades têm interesse e capacidade para exercer o cargo no próximo mandato); que a recomposição da lista à câmara é um processo delicado e, por isso, deliberadamente atrasado; e que há dificuldades nalgumas freguesias (quem diria). Mas não tendo nada para apresentar mais valia não fazer representação. Mas Diogo Mateus não quis destoar do nível dos concorrentes. Resolveu adoptar o registo amoroso e ficar-se pelos serviços mínimos. Compreende-se, mas exigia-se mais …
video

12 comentários:

  1. Adelino Malho, o Sr. esqueceu-se que o PS ( O partido do qual o Sr. ainda é militante...mas que mais valia não ser) apresentou o Cabeça de lista á AM. O Dr. Célio e apresentou também a equipe á Camara: Eng. Claro; Drª Odete Alves; Drª Marlene Matias; Eng. Manuel J. Gonçalves...e restante equipe que eu agora não me lembro de todos os nomes. Como vê anda distraído.

    ResponderEliminar
  2. No Farpas escrevemos para o cidadão comum; textos literais que qualquer pessoa com meio neurónio percebe.

    ResponderEliminar
  3. Um Neurónio é um Neurónio...Um imbecil é sempre um Imbecil mesmo que possua 86 biliões de neurónios ...

    ResponderEliminar
  4. Sr.Adelino Malho quando faz um comentário ao seu post com "...que qualquer pessoa com meio neurónio percebe" deuxa-me com sérias dúvidas se a sua formação académica, cívica e similares abrange a sensatez do uso das palavras.
    Sinceramente tinha outra ideia sobre as suas ideias.

    Possivelmente um dos que tem meio neurónio.

    ResponderEliminar
  5. Sr. Sérgio Joaquim, percebeu o post? E o(s) comentário(s)? Se percebeu, não se percebe o seu comentário, ou percebe...

    ResponderEliminar
  6. O que eu escrevi como deve ter entendido, foi unicamente para o seu comentário que para meio neurónio meia palavra deve bastar.
    Nunca fui político, não sou, estou esperançado e determinado em nunca o ser.
    Felizmente no mundo em que todos vivemos existem os inteligentes, pseudointeligentes, os menos inteligentes, mas agora fico na dúvida se as pessoas com meio neurónio se enquadram numa nova classe/categoria ou se incorpora numa que eu atrás referi.
    Felizmente que o povo português tem um "espírito inovador ".

    ResponderEliminar
  7. Sr. Sérgio Joaquim,

    Com essa informação – de que não leu o post e comentou só o comentário – corrijo um bocado a opinião com que fiquei de si. No entanto, acho (não só eu, mas alguém que sabe muito mais disto do que eu) que para tirar uma conclusão se devem considerar, no mínimo, duas premissas.
    Leia tudo e, depois, avalie o comentário no contexto. Talvez corrija a opinião gerada pelo impulso.

    ResponderEliminar
  8. Sérgio
    Joaquim e Adelino Malho, o que está dito está dito. Assumam-se e não se justifiquem. É preciso ter licença para ter opinião ? As opiniões discutem-se, não se contornam com floreados.

    ResponderEliminar
  9. Camarada Adelino, discordo: a questão (de fundo) não é de opinião, se o fosse nem sequer tinha comentado.

    ResponderEliminar
  10. Pois é meu caro A. Malho, discutir neurónios não é ter opinião. È ter dúvidas. Não é?

    ResponderEliminar
  11. Meu caro A. Leitão, não compreender factos/afirmações claras diz muito sobre os neurónios. Não sou (só) eu que o digo, são os especialistas nos ditos.

    ResponderEliminar
  12. "Parte como os outros: sem ideias e sem equipa."

    ResponderEliminar

O comentário que vai submeter será moderado (rejeitado ou aceite na integra), tão breve quanto possível, por um dos administradores.
Se o comentário não abordar a temática do post ou o fizer de forma injuriosa ou difamatória não será publicado. Neste caso, aconselhamo-lo a corrigir o conteúdo ou a linguagem.
Bons comentários.