9 de junho de 2009

Fora da Lei



Sistematicamente fora da lei, com a conivência das autoridades.
Depois não se admirem com as consequências…

16 comentários:

  1. Adelino Malho, boa noite.
    Eras tão rápido, Nossa Senhora.
    Requiem pela tua alma, política, já se vê.
    Porque quero-te vivo e vivaço.
    Não vês que o que está mal é a Lei.
    Grande abraço.

    ResponderEliminar
  2. Eu aqui na minha urbª por ter o carro em cima do passeio já fui multdo 2 ou 3 vezes,devo de ser Português de 2ª

    ResponderEliminar
  3. Bom dia
    o que está mal não é a lei. O que está mal é a conivência das autoridades para com situações evidentes de violação da lei.
    Não podemos para resguardar a nossa posição, escudarmo-nos na lei.
    A lei é para cumprir por todos os cidadãos.
    Temos de dizer claramente que aquilo que está em jogo aqui é a comunidade cigana. Eles são os verdadeiros conhecedores dos seus direitos, mas quando lhes falam em deveres, são completos ignorantes.(dá jeito, pois claro!)
    Tem-se falado na sua integração, mas será que eles estão interessados nela?
    Não podemos é ser cobardes e coniventes com esta situação. Srs da autiridade façam o favor de cumprir com os seus deveres.

    ResponderEliminar
  4. Sim, está mal a Lei, está mal o trânsito estacionado em cima da ponte, está mal um bairro ocupado por um único grupo social (antigamente chamava-se gueto: judiarias, mourarias, etc.), está mal, quiçá, a própria ponte, está mal de certeza o contentor do lixo em plena faixa de rodagem... Mas um dia quem sabe, esta China Town pombalense, possa tornar-se um lugar turístico chamado "Quartier Gitane" ?
    Mas... não há um organismo político que elabora e aprova as leis e emenda-as (ou devia emendá-las ou revogá-las) quando elas se tornam ilegítimas, inaplicáveis ou obsoletas?

    ResponderEliminar
  5. .oçarbA
    .edadrebil ed suarg sonem somet zev adaC
    .somatse sodanoicidnoc siam ,seõçnevnoc siam otnauQ
    .somet edadrebil sonem ,siel siam otnauQ
    .sodardauq sodot somadna euq é sóN
    .amet mob mu É .siel sad edadilauq à odnatlov adniA
    .aid mob ,soriehnapmoc e sogimA

    ResponderEliminar
  6. Amigo Rodrigues Marques, confesso que achei muito giro o jogo de palavras.
    Quanto a questões de leis, é escandalizante a forma como elas não são cumpridas, principalmente as que respeitam as regras de trânsito.
    Muitos dizem que a polícia faz uma apertada caça à multa, mas isso não acontece verdadeiramente, porque todos os dias vemos incumprimentos da lei que não têm qualquer punição. As leis não são cumpridas porque a fiscalização não consegue chegar a todos os infratores, principalmente quando está direccionada para excessos de velocidade e se esquece das outras transgressões.

    ResponderEliminar
  7. Amigo e Dr. JA, boa noite.
    Eu sei que o Senhor é advogado e que trata por tu as leis e os legisladores.
    Todavia, para mim, pobre e indefeso cidadão, a questão é muito mais profunda.
    Porque raio é que eu serei obrigado a escrever e a ler, no nosso alfabeto, da esquerda para a direita e de cima para baixo?
    Sei que leu da direita para a esquerda e de baixo para cima.
    Só assim é que se compreende o texto, aliás, feio.
    Feio, feio como o mafarrico.
    Malandro e velho.
    Velho, velho como o diabo.
    Eu sei qe são as convenções e as leis que cerceiam a minha liberdade.
    Alguém é capaz de me explicar porque é que eu tenho que escrever e ler da esquerda para a direita e de cima para baixo?
    No caso vertente do Post do Engº Adelino Malho tenho quase a certeza que a nossa Lei é que está errada e que a lei das minorias é que está certa.
    O nosso amigo Professor, parece-me, que pretende questionar a qualidade da "lei" atribuida à Câmara Municipal de Pombal.
    Se assim for, faz mal, já que estamos a falar de Leis da Nação.
    E a nação, nas minorias, é muito mais pequena.
    Abraço.

    ResponderEliminar
  8. Amigo Eng. Rodrigues Marques, que não souber até pode pensar que está a entrar na crise da adolescência em que se pretende mudar o mundo e fazer tudo ao contrário, transgredir regras e a imaginação está em alta. Bem, pensando bem, provavelmente não será a fase do armário mas sim a andropausa.
    As leis são fundamentais e são para ser cumpridas, a todos os níveis. Se todos cumprissemos as leis, não era necessário elas por vezes serem tão rígidas, e provavelmente não viveriamos o actual cenário de crise.
    Só tenho pena de nem sempre serem aplicadas, principalmente quando estão em jogo outros interesses.
    Cumprimentos

    ResponderEliminar
  9. Cumprir a lei?
    É claro que temos que cumprir a lei. O cidadão comum, que trabalha, que paga impostos, que se esforça para que o pão não falte em casa, etc.etc.
    O problema não é esse, porque todos sabemos que quando estes cidadãos não cumprem a lei, são punidos sem apelo nem agravo.
    O problema bem de cima. Dos que fazem as tais leis que só o cidadão comum tem que cumprir.
    E o exemplo? Não tem que vir de cima? E aonde é que se vê esse exemplo?
    São escandalos atrás de escandalos, a que todos assistimos todos os dias, e aonde é que está a lei? Aonde?
    Expliquem-me porque sou muito burro!!!!!!!!!

    ResponderEliminar
  10. Infelizmente não são só os "de cima" que não cumprem a lei, apesar de os seus incumprimentos normalmente atingirem uma maior escala. Contudo, é verdade que o cidadão comum é sempre mais castigado.
    Mas a maioria das pessoas, quer sejam influentes quer não, aproveita todas as oportunidades para se valorizar, mesmo que por vezes a lei seja esquecida.
    Há aqui alguém que cumpra sempre a lei? Não acredito. Mas tenho a certeza que pelo menos em alguns casos os incumprimentos não terão grande relevância, enquanto que em outros pode ser simplesmente assustador.

    ResponderEliminar
  11. Perfeitamente de acordo!
    Mas já li algures, que as leis foram feitas para serem violadas.
    Mais a sério, diria que, há infrações e infrações!

    ResponderEliminar
  12. Caro Zé, concordo plenamente quando diz "há infrações e infrações". O grande problema é que todos consideram que as suas infrações não têm grande importância. Não terão certamente as dimensões que têm desfalques, subornos, crimes violentos, enormes fugas fiscais e por aí fora, mas quando somos punidos por algo que cometemos há que aceitar e não remoer que os outros também fazem, e às vezes pior, e não são punidos.

    ResponderEliminar
  13. Caro Rodrigues Marques
    O Sr. ofende-me se julga que eu confundo leis com posturas municipais. Também há muito que me deixei de preocupar com a Câmara Municipal...
    Por isso não me consiere obsecado com os deslizes do poder local...
    Queixam-se os políticos do desinteresse cívico dos eleitores. Quererão eles outra coisa, eles que todos os dias nos oferecem as suas fotografias tão desfocadas?
    Um abraço.

    ResponderEliminar
  14. Amigo e companheiro Professor, bom dia.
    Não entenda, com o meu comentário, qualquer ofensa.
    Quanto ao desinteresse cívico dos eleitores de que os políticos se queixam e que oferecem as tais fotografas desfocadas não será, digo eu, o espelho de todos os portugueses, independentemente da barricada onde estejam?
    Lá voltamas à mesma.
    Liberdade com responsabilidade!
    Abraço.

    ResponderEliminar

O comentário que vai submeter será moderado (rejeitado ou aceite na integra), tão breve quanto possível, por um dos administradores.
Se o comentário não abordar a temática do post ou o fizer de forma injuriosa ou difamatória não será publicado. Neste caso, aconselhamo-lo a corrigir o conteúdo ou a linguagem.
Bons comentários.