5 de setembro de 2018

Quando a bengala é falsa


A vereadora Odete expôs bem a intervenção que levava preparada sobre o plano da Área de Regeneração Urbana de Pombal. Teria feito boa figura se do outro lado o adversário não lhe tivesse detectado os pontos fracos. Cometeu dois básicos: basear-se em pressupostos falsos e concluir mal (ou não concluir) – um chega para destruir qualquer argumentação.
A vereadora Odete apoiou toda a sua argumentação num erro cometido pelos autores do plano, que apontavam, numa tal análise SWOT, as três grandes vias que atravessam Pombal - Rio Arunca, Linha do Norte e Estrada Nacional - como pontos fracos da cidade (os doutores, os engenheiros e os arquitectos gostam de embelezar/estragar os seus trabalhos com coisas que não dominam e não são aplicáveis aos seus estudos – manias tolas). No final, cometeu outro erro imperdoável: não concluiu - limitou-se a afirmar que faria diferente, e absteve-se.
Resultado: o adversário deu-lhe forte nos pontos fracos; levou-a ao tapete.


Sem comentários:

Publicar um comentário

O comentário que vai submeter será moderado (rejeitado ou aceite na integra), tão breve quanto possível, por um dos administradores.
Se o comentário não abordar a temática do post ou o fizer de forma injuriosa ou difamatória não será publicado. Neste caso, aconselhamo-lo a corrigir o conteúdo ou a linguagem.
Bons comentários.