1 de março de 2010

Escola Secundária de Pombal, ou...

A Direcção da Escola Secundária de Pombal propôs à Assembleia Municpal que determinasse/sugerisse um novo nome para esta escola. Uma ideia muito interessante. Poder-se-ia assim, nesta nova fase (as obras estão em marcha, teremos uma "nova secundária", autenticamente), homenagear uma figura que tivesse marcado a vida desta cidade. Pensei em alguns nomes, mas não os vou avançar já, para o poder fazer em igualdade de circusntâncias com os nossos comentadores. Aqui fica o repto: que nome sugeririam para a secundária?

48 comentários:

  1. Caros amigos. Eu estudei la desde o 7º até ao 12º, sempre a conheci como Escola Secundaria de Pombal, e esse deve ser sempre o nome.
    Não me digam que lhe querem dar o nome de Escola Eng. Narciso Mota? LoooL

    ResponderEliminar
  2. Lembro, a este propósito, o episódio do Teatro-Cine de Pombal - fugazmente baptizado de Amália Rodrigues. Deveria ter-se chamado António Serrano. Porque ninguém fez mais que ele pelo associativismo, pela cultura e pelo entretenimento, no seu conjunto.
    Para a secundária...sim, só se for eng. Narciso Ferreira Mota.

    ResponderEliminar
  3. Ja agora falando um nome provavel: Reinaldo Serrano, com ele a Matemática não era o papão.

    ResponderEliminar
  4. E quanto a ir buscar um nome fora do ensino, que vos parece? Um Mota Pinto, por exemplo. Quanto às letras e às artes, temos algum nome sonante associado a Pombal?

    ResponderEliminar
  5. Boa noite!

    Professor Mota Pinto porquê?

    Não foi aluno da escola, não deu lá aulas, pouco tempo esteve em Pombal e pouco fez por Pombal. Foi só por ser um bom político? não é razão suficiente. O sr. Dr. Mota Pinto estudou no colégio dos ricos, do Dr. Saúl, eterno rival da escola secundário.

    Lembro-me de uma Pombalense, conhecida pelos alunos por cilindro musical, a Prof.Justina Varela, muito carinhosa e amiga dos alunos. Com isto não menosprezo outros como O Sr. Dr. Reinaldo

    ResponderEliminar
  6. Escola Secundária Francisco Menezes Falcão. É uma hipotese pelo trabalho realizado em Pombal.

    ResponderEliminar
  7. Proponho o nome do pombalense do Séc. XVI, Frei António da Conceição, figura venerada pelo nosso Conde de Castelo Melhor, que à ordem a que ele pertencia, os "Loios", ou frades azuis, quis entregar o Convento de S. António do Cardal, tendo até reservado espaço para a sua entronização na Igreja do Cardal, já que se esperava a sua canonização rápida ou pelo menos a beatificação. Era frade da Ordem de S. João Evangelista, os tais Loios e pela sua acção, palavra e exemplo de vida, deu o nome a um dos mais castiços bairros de Lisboa: O Bairro do Beato, à beira do Parque das Nações.
    Das grandes figuras da nossa história já temos em nomes de escolas o Gualdim Pais, que não nasceu em Pombal, o Marquês de Pombal, que também não nasceu cá, o Conde de Castelo Melhor que, esse sim, aqui nasceu. Falta o Frei António da Conceição, que nasceu em Pombal, na Rua das Canas, na primeira metade dos anos de Quinhentos.
    Saudações.

    ResponderEliminar
  8. Amigo e companheiro Miguel, que não sei quem é, boa noite.
    Andei na escola Cor de Rosa, muito antes da Escola Comercial e Industrial de Pombal, ora Escola Secundária, ter sido construída. Daqui segui para Leiria.
    O Senhor Francisco Manuel de Menezes Falcão foi um visionário apoiado pelo Senhor Manuel da Mota. Dois Grandes Senhores.
    O Senhor Menezes Falcão, enquanto Presidente da Câmara Municipal de Pombal, teve muitos méritos e um deles foi o de acabar a electrificação do concelho Pombal.
    O Senhor Menezes Falcão, apesar de não ser natural de Pombal, visionou que a ora cidade de Pombal se deveria expandir para Nascente.
    Nos então olivais encontrou forma de aí construir a Escola Secundária, O Hospital, o Quartel dos Bombeiros e, assim, “rasgou” a vila de Pombal.
    Estou perfeitamente de acordo que aquele filho de Professores Primários dê o nome à, agora, Escola Secundária e que se passe a chamar: Escola Menezes Falcão.
    É de toda a justiça que assim seja e só lamento que não tenha sido eu a fazer essa proposta.
    Agora, é tarde de mais.
    Todavia reitero do fundo do coração e da razão a proposta do companheiro Miguel.
    Bem haja, amigo Miguel, pela sua proposta.
    ESCOLA MENEZES FALCÃO!

    ResponderEliminar
  9. Eu gostei mais da proposta do professor (o distanciamento histórico dá mais legitimidade à homenagem), pese embora reconheça o peso dos argumentos a favor de Menezes Falcão. Duas propostas de valor!

    ResponderEliminar
  10. Menezes Falcão??????????? Estamos todos muitos velhos e conformados. Como diria o outro... é a vida !

    ResponderEliminar
  11. Não era só a ti! Bora fazer uma petição? eheheh

    ResponderEliminar
  12. A mim parece-me bem Escola Secundária Gabriela Coelho.
    Foi Professora e Presidente do Conselho Directivo durante muitos anos. Infelizmente já faleceu.

    Joaquim Eusébio também é uma boa opção.

    Penso que o nome escolhido, não deverá ser político, e Mota Pinto, desculpem-me mas não fez nada por Pombal, inclusivamente, chegou a afirmar ser natural de Coimbra! Para quê dar o seu nome á escola, se a casa onde nasceu está como está?

    ResponderEliminar
  13. Esta escola foi construida no tempo em que a Pátria se orgulhava dos seus educandos, deve ter o nome de um ilustre cidadão e amigo de Pombal, porque não, nós filhos do Estado Novo, homenagearmos esse, a quem,hoje, os homens com netos chamavam em unissono por ele, nas paradas, das grandes virtudes, a Gloriosa Mocidade Portuguesa.

    Escola Secundaria Professor Doutor António de Oliveira Salazar.

    Vamos fazer justiça.

    Até as lágrimas se vão pela cara fora, sou do tempo em que a imprensa nada dizia sobre as noticias que oportunamente eram selecionadas, o povo era informado com a necessidade que se impunha.

    Disse

    ResponderEliminar
  14. "Até as lágrimas se vão pela cara fora, sou do tempo em que a imprensa nada dizia sobre as noticias que oportunamente eram selecionadas, o povo era informado com a necessidade que se impunha."


    Caro Nobre Povo

    Não chore, não tem motivo, esse tempo não passou, esse tempo é aqui e agora.


    Por falar nisso não vi nenhum postador ou comentador, sempre tão lisos, sempre tão rectos, sempre tão politicamente correctos, sempre exemplarmente exemplares, comentar, criticar ou apoiar o que se passo no post "Canalhice"

    Devem ser sinais do tempo que afinal não passou, e que se calhar para espanto do nobre povo (as minúsculas é de propósito e não tem a haver com a personagem) é um tempo apreciado por muitos (ao contrario do que o Nobre Povo (agora é relativo ao personagem) pensa)

    ResponderEliminar
  15. A inclusão do meu comentário neste post é de propósito

    ResponderEliminar
  16. Aceito o repto do Gabriel Oliveira e lanço alguns nomes para a discussão. Para me inspirar, consultei a toponímia da cidade e saltou-me logo à vista o nome de dois professores: o célebre Gonçalves Figueira e o mais discreto Ernesto Tavares. Presumo que estes insignes professores tenham sido personalidades marcantes da vida pombalense mas - pura ignorância minha - não conheço a sua obra: será que alguém me pode elucidar?

    Talvez mais conhecida, embora também não saiba qual a sua ligação a Pombal, é a escritora Madalena Martel Patrício. Esta ilustre figura das letras portuguesas, para além de conseguir o feito notável de dar o seu nome a uma rua e a uma rotunda da cidade, é, que eu saiba, a única personalidade com alguma afinidade com a nossa terra que foi nomeada para um prémio Nobel. E logo 14 vezes! Confirmem em: http://nobelprize.org/nomination/literature/nomination.php?action=advsearch&key1=candcountry&log1=IS&string1=PT

    ResponderEliminar
  17. Bom dia!
    Caro Nobre Povo admiro a sua coragem mas digo-lhe que ainda é cedo para reconhecerem o Estadista que foi Salazar. Actualmente apenas são recordados os pecados dos 40 anos do seu regime.

    O regime actual está lá há 30 anos a consumir riqueza e encher as páginas dos jornais com escandolos todos os dias e o que nos trouxe de novo foi podermos falar livremente e acabar com a guerra colonial.

    Era eu miúdo, nada sabia de política, foi inaugurada a ponte sobre o TEJO na qual foi decidido dar o nome de:"Ponte António de Oliveira Salazar" e, aquando da colocação do nome na ponte o Estadista disse:
    "coloquem então a placa com o meu nome mas de forma a que seja fácil de retirar porque, quando eu morrer, vão retirar a placa e se for difícil retira-la podem estragar esta linda obra".

    ResponderEliminar
  18. Bom dia!
    Nao vim para propor algum nome, deixo isso aos nossos respeitados intelectuais.

    Companheiro Nobre Povo!

    Sim Salazar devido a ele ate consegui fazer a minha 4 classe!!!e por fazer a 4 classe consegui os meus primeiros sapatos "feitos a medida do pe com numero maior"porque tao cedo nao haveria mais sapatos e tambem o meu primeiro (fato)de fioco.

    Mas gostei do seu sentido de "HUMOR"... so pode


    Meu caro amigo DeBoss... 40 anos queres ainda mais?.

    vou contar uma pequena estoria! em 98 fui a Cancun depois resolvi a ir a Cuba apenas a 35 min.
    Em Habana fui de taxi e pedi ao taxista para que me leva-se a locais historicos e tambem aos locais pobres,ele voltou-se para mim no banco de traz e olhando-me nos olhos, disse...Senhor! aqui nao ha locais pobres... solo ai miserables!!!.

    No tempo do tao (teu e do Nobre Povo) saudoso Salazar so havia miseria e alguns muito ricos. Costumo a comparar com esta estoria so que Cuba esta muito evoluida a nivel de educacao e tambem ao nivel de saude comparada com outras ilhas das caraibas .

    quanto a educacao "desse" que voces defendem ainda se pode contar por uma percentagem elevada de analfabetismo na populacao Portuguesa no ano 2010.

    Quando eras miudo nao entendias nada de politica? poderias entender? nem bem desse poderias dizer!.

    Quanto as Paginas de jornais! eh a categoria do jornalismo que temos.Azul, laranja, rozado,vermelho e em seguida o amarelo a riscas...jornais,tv's e radios todos controlados pelas diversas cores politicas e ou grupos economicos. Quanto a politicos, mas nao estamos a falar de Portugal? e de portugueses?
    Have a nice day
    EA

    ResponderEliminar
  19. Considero muito interessante que a escolha de um novo nome para a "Escola secundária com 3º ciclo do Ensino Básico de Pombal" (nós tínhamos que escrever isto tudo, senão éramos chamados à atenção!), seja alvo de debate/troca de ideias entre os pombalenses. Naturalmente que assim surgem muitos nomes, cada um com a sua relevância, sendo mesmo difícil por vezes ajuízar qual o mais importante ou mais adequado à questão em causa. Aí entro um pouco pela questão dos critérios. Que critérios usar para a escolha do nome para a escola? Talvez a ligação da pessoa com a própria escola seja um aspecto a considerar.
    Depois também o objectivo. Homenagear uma personalidade de destaque pelas suas acçõs em prol de Pombal? Nesse aspecto, pessoalmente julgo que homenagear mortos, por mais importantes que tenham sido, não adianta muito porque as pessoas devem ser reconhecidas enquanto estão vivas,só assim poderão sentir e reagir ao reconhecimento.(dou a mão à palmatória se vier a confirmar-se que após a morte as pessoas continuam a ter acesso ao que se passa no mundo que deixam)
    Queria também manifestar o meu receio, porque às vezes acontecem coisas surpreendentes e de certo modo estranhas, como foi o caso do Campo de Jogos Dr. Armindo Carolino.
    Em conclusão, só espero que as pessoas responsáveis por fazer a proposta em Assembleia o façam conscientemente e que ouçam a população (sim, porque já sabemos de antemão como acabam as votações em AM...no máximo 9 votos contra).

    ResponderEliminar
  20. Boa tarde!
    Caro Ernesto quando se fala em Salazar, ou qualquer outro Estadista, devemos pensar sempre naquilo que nos trouxe de bom e de mau o seu cariz político.
    Quando falam em Salazar, entendo eu, apenas realçam o que de mau teve o regime e o rumo traçado por ele esquecendo-se que, quando chegou ao poder, em 1932, não havia escolas, estradas asfaltadas, pontes dignas desse nome nem ouro nos cofres do Estado. Esquecem-se das escolas, das estradas, das pontes entre outras, que mandou construir e das reformas que preconizou no sector público, algumas delas ainda hoje em vigor. Governar com dinheiro é muito fácil e gerir o que não há torna-se mais difícil.

    Dizes e bem que nessa época andávamos descalços e esqueces que os nossos pais acabavam de sair de uma guerra mundial cujo epicentro foi o coração da Europa.

    Não há nem nunca houve regimes perfeitos o que eu entendo é que o modelo político actual está esgotado e corrupto demais para o nosso gosto. Temos que debater este assunto quando vieres porque aqui no blog não é fácil nem é o assunto do post.

    Recebe um abraço de sempre do teu amigo, acima de tudo.

    ResponderEliminar
  21. Meus amigos custa-me dizer isto mas, se calhar, andamos a "mandar bocas" para o "boneco". É provável que nesta altura o nome da escola já esteja escolhido e pode até nem ser escolhido aqui, em Pombal. Tive, nos últimos anos de exercício, uma triste experiência ao assistir à destruição do Projecto da Escola n.º 1 do 1.º Ciclo de Pombal que tinha massa critica e projecto educativo próprio e com "pernas para andar" e acabou em apagada e vil tristeza englobada num Agrupamento Vertical que nunca tinha dado nas vistas nem educativa nem comunitariamente, por imposição do ministério, assessorado pelo silêncio envergonhado da autarquia.
    A nossa amiga JA põe muito bem a questão dos critérios de escolha. É muito difícil e quanto mais recente for a figura mais contestável será.
    Os seres humanos são uma espécie de biface anjo/demónio. Todas as figuras apresentadas até agora têm pontos fracos (os seus cantinhos tenebrosos). É por isso que acho bem que seja alguém de quem já não nos lembremos. A estátua do Eng. Guilherme Santos, no Jardim das Tílias, é uma bela parábola - quando foi inaugurada muita gente dizia que não estava nada parecido. Então não é que há medida que o tempo corre o busto está cada vez mais parecido com o Guilherme?
    Saudações
    PS - Continuo a investigar a vida de taumaturgo e pregador do cidadão pombalense, nascido na Rua das Canas, em 1522, baptizado da Igreja de Santa Maria do Castelo, que foi proprietário do Prazo da Flandes, e que antes de entrar nos Lóios, em Évora, se chamada António Borges Leitão e sob o nome de cónego Frei António da Conceição, morreu em Lisboa, em 1602, no seu mosteiro do Beato, que começou a construir com umas pequenas esmolas no valor de sete tostões (era mesmo um empreendedor pombalense) e ainda existe e é um luxuoso espaço de eventos culturais e festivos de Lisboa, junto ao Parque das Nações. Voltaremos ao assunto...

    ResponderEliminar
  22. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  23. Das figuras aqui trazidas, tirando Menezes Falcão - a quem nada me liga do ponto de político, mas por quem tenho respeito - não estou a ver outro com ligação tão demorada e marcante ao desenvolvimento de Pombal na última metade do século XX, incluindo nos esforços e pressão sobre o poder central para a criação da então Escola Industrial e Comercial de Pombal.

    Do ponto de vista da ligação à Escola, que marcou mais do que uma geração de estudantes e contribui com uma grande pedrada no charco no marasmo cultural de Pombal, com a criação do TAP, foi o Prof. Eusébio, que é a pessoa para quem iria facilmente a minha admiração e simpatia.

    Contudo, julgo que as pessoas que, como ele, fizeram as coisas certas que acharam dever fazer e deram o melhor que podiam e sabiam por uma causa e pelo bem comum, fizeram-no por generosidade e dever de consciência, nunca por penachos ou para verem o seu nome colocado em qualquer placa e, apenas, mais uns nomes como tantos outros, sem sujeito e sem substância, que dão nome a tantas ruas, praças e escolas das nossas terras desprovidos de conteúdo e sem presença na memória das gentes, quando o que seria verdadeiramente importante era que as obras destas pessoas eméritas fossem continuadas ou, pelo menos, que lhes fossem seguidos os exemplos.

    Esta coisa das comendas, jantares de homenagem e similares, tirando casos muito, muito excepcionais, a quem a generalidade do povo identifica e atribui esse merecimento, as mais das vezes é bacoquismo da entidade política que homenageia, sem que haja qualquer identificação entre o povo e os homenageados. Estou em crer que o Prof. Eusébio não veria com bons olhos essa homenagem. Gostaria sim, se possível, que os poderes autárquicos, apoiassem mais a continuação da sua obra e promovessem mais o desenvolvimento cultural de Pombal.

    Longe de qualquer elaboração na vaidade dos vivos e da inútil promoção da vaidade dos mortos, para mim, mesmo que se me refiram como estrangeirado e politicamente correcto, a minha escola deve ter o nome pela qual a comunidade escolar e a generalidade do povo de Pombal a conhece: ESCOLA SECUNDÁRIA DE POMBAL.

    P.S.: A Senhora Madalena Patrício Martel descende de facto da família Travassos Valdez, com importância nas guerras peninsulares e na implantação da Monarquia Liberal (Conde do Bonfim), proprietária da Quinta de Flandes. Não sei se teve algum papel de relevo na cultura portuguesa, reconheço a minha ignorância a esse respeito. Fazia no entanto parte da elite Salazarista. Segundo Irene Flunser Pimentel, especialista neste período, fez parte de diversas organizações femininas: “Bases Femininas da Nação”, Secretariado Feminino Nacional-Sindicalista, Obra das Mães, Associação das Senhoras da Caridade de Lisboa, etc.: “(…) Em 29 Abril de 1937,os jornais anunciaram, por seu turno, o surgimento de um Grupo de Senhoras da Comissão de Socorro aos Órfãos Nacionalistas de Espanha, e, em Maio, a Associação de Senhoras de caridade de Lisboa enviou a Salazar uma carta, assinada por 1300 mulheres, entre as quais novamente Madalena Patrício, a interceder «para que as desgraçadas crianças que de Espanha haviam sido levadas para a Rússia, (fossem) restituídas à sua Pátria e Famílias»36(…)”. De todo o modo, como o Adérito reconhece, uma desconhecida em Pombal

    Quanto ao Salazar, como diz Ernesto Andrade, só por sarcasmo ou humor negro. Haveremos de continuar a pagar por muitos anos e gerações os males – sobretudo de espírito – que esse ditador nos causou. Salazar nunca ais. Nem a brincar.

    ResponderEliminar
  24. E porque não deixar como está: Escola Secundária de Pombal?

    ResponderEliminar
  25. Exactamente isso, era muito mais fácil chamar-lhe simplesmente Escola Secundária de Pombal! Mas o ser humano tem esta necessidade muito curiosa de complicar tudo. E também é muito verdade que no fundo este "jogo" é muito giro, mas faz com que o pensamento seja desviado de outras questões realmente importantes e que interfiram directamente com as necessidades dos pombalenses.
    Para além disso, o camarada Jorge Ferreira tem toda a razão, quando fala nas pessoas que trabalharam em prol do bem comum e que viram nesse trabalho um dever de consciência.
    Homenagem, é um conceito um pouco estranho, pois no fundo como é que podemos homenagear uma pessoa quando ela mais não fez do que cumprir o seu dever enquanto cidadão? Para que esses se destaquem é porque existem os que não cumprem os deveres e que pensam apenas nos interesses próprios.
    Caro Professor, mas isso já nós sabemos que no fundo não vale de nada estarmos aqui a debater nomes, porque mesmo que o nome não esteja escolhido, não será nenhum de nós que o vai escolher, nem sequer as nossas opiniões serão tidas em conta (o que faz com que tenhamos mais facilidade em opinar, uma vez que não há um responsável inerente à decisão). Porém, o nosso dever como cidadãos também é pensar e debater questões, mesmo que não tenhamos interferência na aplicação prática das mesmas.

    ResponderEliminar
  26. Caro Jorge Ferreira,

    Como deve ter deduzido do meu comentário, não defendo nenhum dos nomes que propus. Achei piada ao exercício e aproveitei para relembrar algumas personalidades que Pombal homenageou na sua toponímia. Além disso, intriga-me não saber quem foi o Prof. Gonçalves Figueira...

    Grande abraço,
    Adérito

    ResponderEliminar
  27. Bom dia!

    Para quê homenagear os mortos? já lhes perguntaram se eles aceitam?

    O Sr, Menezes Falcão, em vivo, recusou sempre ser homenageado com a colocação do seu nome nas ruas.
    Na freguesia do Carriço, se não estou em erro, esteve uma placa com o seu nome para uma rua que ele não autorizou a colocação!

    ResponderEliminar
  28. Subscreveria a proposta da JA. Simplesmente Escola Secundária de Pombal.

    Mas como pelos vistos é necessário haver nome de "patrono", a propor, proponho, até por uma questão de exemplo, Escola Secundária Salgueiro Maia. Suponho que já deva haver na zona de Santarém, mas com esta quase-proposta, o objectivo é simples: usar o nome de alguém de forma exemplar. Nesse sentido, também Escola Secundária Aristides Sousa Mendes seria uma opção. Mais "universal" é certo, mas seriam as minhas propostas. Menezes Falcão nunca, por muito respeito que tenha pela sua família: não entendo que um político do antes do 25 de Abril possa ser homonegeado com um nome de uma Escola. Admito que os haja, mas não concordo.

    Se formos para nomes mais locais, as dúvidas do Adérito e as sugestões do Professor parecem-me uma boa base de discussão.

    ResponderEliminar
  29. Eu acho graça a nomes e homenagens.
    Concordo que não se deve homenagear nenhum vivo, ou sequer um morto recente... por uma questão de "pudor". Pegar numa figura de Pombal parece inevitável, mas há também a possibilidade de homenagear uma figura nacional, ou mesmo uma figura mundial. Ou uma figura mitológica, já pensaram nisso? A criatividade não tem limites.

    ResponderEliminar
  30. Frei Valentim Alexandre de Carvalho, professor da primeira escola de Pombal, que funcionou no convento do Cardal desde 1716. Foi também o maior benfeitor da Misericórdia de Pombal.

    ResponderEliminar
  31. Camarada Gabriel Oliveira, olha que realmente até tens razão, homenagear por homenagear ao menos que seja uma pessoa que tenha falecido há muito muito tempo. Assim é quase o mesmo que não fazer homenagem nenhuma, pois o significado da atribuição do nome tem muito menos impacto e resolve o problema da controvérsia, que naturalmente será menor.
    Mas também não sei qual o objectivo da mudança de nome, se é mesmo homenagear ou apenas uma estratégia para que se fale da Escola Secundária de Pombal. Se for a segunda hipótese, já está conseguido!
    Por falar em objectivos, não creio que essas pessoas que têm vindo a ser sugeridas tivessem como objectivo este tipo de reconhecimento, sendo que se o seu trabalho foi realizado por necessidade de lutar pelo bem comum e pode mesmo ser um contra-senso com os seus ideais.
    Não deixa de ser interessante, procurarmos uma sociedade de igualdade (não absoluta, obviamente) e estarmos constantemente a estratificar a população de acordo com a sua relevância. Não seremos todos importantes? Diria, uns mais outros menos, claro! Mas acentuar as diferenças será um bom caminho? Não creio.
    Escola Secundária de Pombal, uma homenagem a todos os Pombalenses. Por mais opiniões diferentes que possam surgir, esta é a única hipótese que nos une a todos...POMBAL!

    ResponderEliminar
  32. Boa tarde:

    Como "jorge ferreira" disse:

    "Longe de qualquer elaboração na vaidade dos vivos e da inútil promoção da vaidade dos mortos, para mim, mesmo que se me refiram como estrangeirado e politicamente correcto, a minha escola deve ter o nome pela qual a comunidade escolar e a generalidade do povo de Pombal a conhece: ESCOLA SECUNDÁRIA DE POMBAL."

    Na minha opinião, foi a decisão mais acertada! É assim que algumas, e não tão poucas quanto isso, gerações a vêem. É assim que a designamos quando passamos à sua porta e mostramos aos nossos filhos.
    Foi ali que aprendemos a investigar, a discernir, a jogar, a discutir, a namorar, a enganar ...

    Em desacordo, porque não:
    ESCOLA DE 3º CICLO JOAQUIM FOMINHA?

    JD

    ResponderEliminar
  33. No tempo em que os portugueses se orgulhavam da sua Pátria, em Pombal, o Fominha, homem de escrita em desenho, demorava quatro horas para atravessar o Cardal, apoiado no pau, a sua lenga, lenga, sempre de oposição ao Estado Novo, na sua voz tremola dizia alto: Salazar! vossa excelência!

    O Fominha apregoava a sua ópinião, mas, a educação sentia-se nos humildes, o povo falava, com educação, claro.

    Os vindouros vão perguntar por António de Oliveira Salazar.

    Disse

    ResponderEliminar
  34. Ora bem. Vou-me informar melhor, mas penso que tem de ser dado um nome à escola por motivo qualquer.

    Obviamente que sou 1000 % a favor que ficasse Escola Secundária de Pombal. Muitas sugestões aqui se fizeram. Desde Escola Sec. Gabriela Coelho, que cheguei a conhecer antes de falecer. Era uma óptima opção, mas já existe Um Auditório Gabriela Coelho dentro da escola.
    O nome do Prof. Joaquim Eusébio é outra excelente ideia. Até porque se liga ao ensino.
    Sei bem que a minha sugestão esteve ligada à política, mas sobretudo disse-a pelo trabalho realizado fora do âmbito político. São coisas que pretendo não misturar.

    Bem mais importante que o nome é quem faz a escola:professores, auxiliares e alunos. De nada valerá o nome se não existir qualidade de ensino ( e não, não me estou a armar em Medina Carreira).

    ResponderEliminar
  35. Miguel,

    Essa questão de ter de ser dado um nome à escola é um petição de princípio, porque ela tem um nome: ESCOLA SECUNDARIA DE POMBAL.

    Portanto, esse é,suponho, um falso argumento. Se descobrir algum fundamento que contrarie esta posição,traga-a ao debate.

    Todavia, Salgueiro Maia tem ligação ao passado recente de Pombal e é dos raros casos de muito, muito excepcioais de absoluto merecimento. Um exemplo de coragem e abnegação pela causa da Liberdade e da Justiça, por dever de consciência, com um profundo sentido de despojamento e avesso a solenidades estéreis e homenagens fúteis.

    ResponderEliminar
  36. Este soldado que tantas responsabilidades tem no dia a seguir ao vinte e quatro de Abril não pode ter o nome numa escola que é do meu tempo.

    Querem ver que ainda vão aqui dizer que para descerrar a lápide chamavam a familia Arrais.

    Aceito que o nome do estadista a quem a nação tanto deve, seja uma ilusão, aqui deixo uma alternativa.

    A gloriosa Mocidade Portuguesa tinha em Pombal um excelente representante, o 27, este rapaz do meu tempo dos lados da Capela de Santo Amaro é a minha proposta.

    Escola Secundaria 27.

    Vamos homenagear todos os que fizeram parte com orgulho da nossa Mocidade Portuguesa.

    Nota: Este Ferreira com este tipo de comentários esquerdistas no tempo em que a Nação tinha vergonha, o homem da Moncalva lá teria de o ir buscar a Vermoil e entregá-lo ao saudoso sargento Favas.

    ResponderEliminar
  37. Boa noite:

    O "Nobre Povo" tem um sentido de humor refinado!.

    Proponho-me cozinhar "faizao a la champagne" na minha cozinha acompanhado dum tintol so para ter o prazer de o ouvir a falar com esse sentido de humor "impar" aqui no farpas!.

    Essa do 27 esta mesmo de matar!...a rir.

    Eu rebolo no chao a rir quando leio os seus comentarios...teem uma redacao espectacular.

    Caso aceite o meu convite sera na semana antes da Pascoa, nao se preocupe com os pecados que eu sou "amigo" do Padre Paulo.

    Ah ja agora informo que fui um bom "lava pratos"

    Have a nice day
    EA

    ResponderEliminar
  38. Um abraço Ernesto.

    Obrigado pelo convite.

    ResponderEliminar
  39. Escola Secundária de Pombal

    Em Alternativa
    Escola Secundária de Santo Amaro
    Escola Secundária da Senhora do Cardal, já que se aproxima a silly season do Bodo-Agro

    ResponderEliminar
  40. Para quando o mega jantar do Farpas, e a apresentação do livro? Estou com curiosidade para conhecer essa impar figura " Nobre Povo"

    ResponderEliminar
  41. Boa tarde!
    Roque o Nobre Povo é boa pessoa mas não queiras ver o seu outro lado, se é com quem convivi muitos anos, sabe o que diz. " Este soldado que tantas responsabilidades têm logo após o dia 24" leva água no bico.

    De facto o 27 é um bom número atenção que eu também estive com ele na Mocidade Portuguesa e se o nome dele lá ficar eu quero o nome DB0SS numa sala.

    ResponderEliminar
  42. Caros amigos,

    A Escola vai chamar-se Escola Secundária de Pombal,e "prontos".

    Já alguém passou pelas obras que ali estão a decorrer e verificou que na futura entrada principal (rua António Fortunato Rocha Quaresma) está já gravado no betão "Escola Secundária de Pombal"???

    Se mudar de nome, como vai ser? Deitam a parede abaixo para gravar o novo nome no cimento? Isso não é derrapagem financeira nas obras?

    Já agora, porque é que tem de ser a classe política (Assembleia Municipal) a definir o nome?

    ResponderEliminar
  43. Escola Secundária Miguel Sopas - é a minha proposta...

    ResponderEliminar
  44. Boa dia
    Sopas já piou e bem vale mais uma boa sopa que muitos segundos

    ResponderEliminar
  45. Nobre Povo,

    Tem dúvidas de que a Margarida descerraria a placa com elegância e dignidade? Uma Professora simpática com quem nunca consegui aprender o Inglês, mas no seu tempo, e possivelmente ainda agora, uma elegante, agradável e bela Senhora.

    ResponderEliminar

O comentário que vai submeter será moderado (rejeitado ou aceite na integra), tão breve quanto possível, por um dos administradores.
Se o comentário não abordar a temática do post ou o fizer de forma injuriosa ou difamatória não será publicado. Neste caso, aconselhamo-lo a corrigir o conteúdo ou a linguagem.
Bons comentários.