1 de abril de 2014

E se o castelo falasse?


Se há coisa de que os pombalenses gostam (na net, pelo menos) é do Castelo. Não há foto ou vídeo que por aí circulem onde se vejam as muralhas que não bata record de partilhas. Foi assim também com esta imagem, na semana passada. Depois de partilhada a foto pelo Município de Pombal através da página no Facebook, foi um fartote. Tudo porque o Hugo Neves, presidente do Grupo Protecção Sicó (o outro GPS) deixou uns comentários à foto que foram eliminados por quem gere a página. Censurados, sim. 
Como esta semana vem cá o Paulo Rangel, é perfeito para retomar o debate em torno da "mordaça", que o alavancou na campanha das europeias, há quatro anos. 

Um doce a quem adivinhar a gravidade dos comentários na página do Município. 

12 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  2. Há coisas que não percebo:
    1. Esta obra, mesmo sendo do IGESPAR (ou lá como se chama agora) em património que não está em domínio municipal (escrevi nesta casa a propósito disto bastantes vezes). Já não tenho cópia do projecto, mas a ideia que tenho não era nada disto. Infelizmente, aquelas escadas da treta já anunciavam tamanha enormidade. Quanto ao Município, acho que devia, de uma vez por todas, emancipar-se criticando e estas enormidades (procurando minorizar estragos) e o poder "criativo" de alguns arquitectos que aparentemente se esquecem que os espaços são de pessoas. E se querem revolucionar, que vão revolucionar com dinheiro privado para espaços privados. Além disso, isto de "inovador" parece-me pouco e descontextualizado.

    2. Sobre o que Hugo Neves escreveu, parece-me que a reacção do Município é francamente excessiva (digo do Município, porque independentemente da actuação de quem apaga é em nome do Município que o faz). Se publicam fotos, "promovendo" a obra, têm que gerir as críticas que são feitas. Conheço o Hugo e sei o quanto ele sofre pelo património de Pombal, sendo mais do que normal que criticasse isto. Se ele cometeu algum erro, não me parece que a melhor forma de rebater a opinião fosse apagá-la, mas exactamente rebatê-la.

    Por ter vivido quase todo o consulado de Narciso Mota, lidei com anos de absoluta incapacidade de lidar com críticas, especialmente as fundamentadas. Saí de Pombal na altura em que, finalmente, mudava quem exercia o poder. Espero que o actual Presidente perceba que estes excessos de zelo só criam ruído e são desnecessários. Este é um desses excesso que deve ser evitado. As redes sociais existem para o pior mas também para o melhor, e se o Hugo assinou com o próprio nome dando a cara, se dêem instruções para rebater os argumentos dele às claras, sem os apagar. Para coisas desnecessárias e excessivas bastam (infelizmente) as da fotografia.

    Isto diz um pombalense "expatriado" que aproveita para deixar os seus cumprimentos aos da casa (bloggers e habituais comentadores)

    ResponderEliminar
  3. Quem autorizou o bloco de betão dentro de um castelo do século XII ? Esta foto parece uma mentira de 1 de Abril ou então não se consegue perceber o "bom gosto" da obra. Assim como das escadas também em betão e o "kioske" pós-moderno do Cardal

    ResponderEliminar
  4. A censura ao Hugo é perfeitamente emblemática. A "obra" no Castelo também. Em vernáculo: a povo cu, governantes de caca.

    ResponderEliminar
  5. A censura de comentários sobre atos políticos é inaceitável em Democracia. Pensávamos que o lápis azul tinha sido abolido com a revolução de Abril de 74.
    Que os responsáveis pela comunicação da câmara confundam informação aos munícipes com propaganda política ainda se tolera – tal a falta de sentido de estado e serviço público que se instalou na administração pública. Mas que, ao mesmo tempo que utilizam recursos públicos para fazer a dita propaganda, censurem a opinião de cidadãos é inaceitável e revela a desvergonha a que se chegou.
    Num regime saudável, os responsáveis por este dislate seriam demitidos. Se não o foram/em é porque o presidente da câmara é co-responsável no escândalo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. se eu não estou enganado, ou esquecido, , ja por aqui me fizeram isso, e que me lembre , penso eu, que foi o ............................................
      isto da coerência é um conceito lixado XD

      Eliminar
  6. Amiga e companheira Paula Sofia, boa noite.
    Parabens!
    Boa fotomontagem
    O Toninho esteve quase lá.
    Não fora hoje o dia das mentiras.
    Até a barraca abana.
    Beijo

    ResponderEliminar
  7. Eu bem propus, na última Assembleia Municipal, que a Câmara comprasse o Castelo.

    ResponderEliminar
  8. Amigo e companheiro João Alvim, boa noite.
    As luzes da grande cidade estão-te a toldar a vista.
    Cuida-te.
    Abraço Grande

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não se preocupe com isso, Eng. É que ao menos ainda a tenho e opto por a usar. Já o meu caro amigo continua a fazer vista grossa. Mas não se preocupe que já o topei.

      Choro, mas com abraço.

      Eliminar
  9. Bom dia
    Não sei, não conheço o projecto mas, vendo esta fotografia nua e crua, direi que se trata de um atentado ao património cultural dos pombalenses, especialmente quando olhamos para o cadafalso de cimento!

    Se o projecto prevê que aquilo que vemos em cimento seja para revestir com pedra envelhecida e o mais parecida com a da estrutura do castelo a coisa fica amenizada, agora, se é para dar seguimento aos mamarrachos plantados pela encosta do castelo comece, já a sanear a direcção dos serviços técnicos



    ResponderEliminar

O comentário que vai submeter será moderado (rejeitado ou aceite na integra), tão breve quanto possível, por um dos administradores.
Se o comentário não abordar a temática do post ou o fizer de forma injuriosa ou difamatória não será publicado. Neste caso, aconselhamo-lo a corrigir o conteúdo ou a linguagem.
Bons comentários.