6 de março de 2009

Parques de estacionamento II

A CMP gastou no parque de estacionamento subterrâneo da Praça Marquês de Pombal aproximadamente 1.400.000 € (aproximadamente).
Sabem qual foi a receita em 2008? 6.408 €!
A receita não chega, de certeza, para cobrir os custos de exploração ou de manutenção, quanto mais para recuperar a "despesa".
Inacreditável, como se desbarata dinheiro público, sem nenhuma mais-valia significativa.

12 comentários:

  1. Engº Adelino Malho, boa noite.
    Um líder é aquele que tem capacidade de prever o futuro.
    Quem pensa pequenino, pequenino é.
    Sigam o líder, ou afastem-se e deixem-no passar.
    É bom que se diga que quem pensa pequenino nivela por baixo. A estratégia do líder é, sempre, nivelar por cima.
    O Engº Narciso Mota coloca a fasquia de tal forma alta que só quem pensa grande é que consegue saltar.
    É aí que está a diferença.
    E é bom que se diga, também, que a Câmara Municipal de Pombal, ao tempo do Presidente Armindo Lopes Carolino, viu chumbada uma candidatura, à então Direcção Geral dos Transportes Terrestres, para a construção de um parque de estacionamente subterrâneo junto ao Centro de Saúde.
    Façamos um pequeno exercício.
    Uma milha terrestre é igual a 1609,3 metros. Multipliquem por 60 mil e verifiquem que estão a milhas de encontrar o fio à meada.
    Façamos outro exercício.
    Vossas Excelências afirmam-se como detentores da verdade. Vejamos.
    Considerando
    a=b
    multiplicando por a, dá
    a2=ab
    subtraindo -b2, dá
    a2-b2=ab-b2
    a2-b2 é uma diferença de quadrados, então
    (a-b)(a+b)=b(a-b), cortando, dá
    a+b=b
    Se a=b e se a=1, b=1
    Substituindo dá
    1+1=1
    donde
    2=1 qqd
    Aqui está demonstrado que a vossa lógica, na base dez, é mais do que falível.
    Nota de rodapé.
    Dá-se um doce para quem adivinhar onde está a fálácia.
    Abraço.

    ResponderEliminar
  2. A diferença é de facto muito grande entre o custo e a receita. Quanto a mais-valias, para mim quase que basta ter acabado com a pouca-vergonha do estacionamento na praça como era feito antes.

    ResponderEliminar
  3. Para o Adelino Malho, gostava de saber que obras esse valor engloba. Se só o parque, se o novo refeitório, se a praça, etc.

    Para o Eng.º Rodrigues Marques, não comento a parte da Matemática porque confesso que tive de fazer um esforço para acompanhar as contas. Quanto ao resto, completamente de acordo. Narciso Mota (e aqueles que com ele trabalham) pensam sempre em grande e têm-se revelado bons visionários, embora com algumas falhas. O PS faz questão de fazer de Pombal uma cidade mais pequena do que é e nem pensa que pode haver margem de evolução, o que a mim me custa a compreender, mas enfim, são pontos de vista e cada um tem direito ao seu...
    Mas também o Marquês de Pombal foi um louco que penso em grande. E hoje ninguém lhe nega o devido valor...

    ResponderEliminar
  4. Engº Rodrigues Marques,se a sua matemática foi para impressionar,estamos conversados...Já há muito que sabiamos que "mora" autismo na Câmara Municipal.

    ResponderEliminar
  5. Ó companheiro Rodrigues Marques,

    Não desconverse. A dicotomia que interessa não é entre pensar grande ou pensar pequeno, é entre pensar bem ou mal.
    Infelizmente para Pombal, a gestão do PSD e de Narciso Mota na câmara caracteriza-se por pensar mal e pequeno.
    Os resultados estão á vista de um cego, Pombal é um dos concelhos do Distrito de Leiria com os piores indicadores de desenvolvimento, económicos e humanos. Quer(em) maior demonstração?
    Temo que a crise, mundial, nacional e regional, que todos estamos a sentir tenha particular impacto em Pombal, porque nada de estrutural foi pensado ou concretizado nos últimos anos, navegou-se á vista, foi-se utilizando as avultadas receitas do poder local para ir iludindo os problemas e assegurando reeleições. O cenário, para Pombal, é de tons muito cinzentos.
    A História, a todos julgará.
    AM

    ResponderEliminar
  6. A resposta à charada é:
    RM = (p + a)2.

    ResponderEliminar
  7. Adelino Malho, boa tarde.
    Eu sei que tu sabes que eu sei onde estão as duas falácias.
    Antes, porém, todavia, vamos ver como é que foi encontrado o número 60 mil para multiplicar pelas milhas.
    60 mil será, segundo o Engº Narciso Mota, o número de habitantes do Concelho de Pombal daqui a 10/15 anos. É assim que ele pensa e age.
    Relativamente às duas falácias. Deixemos uma para mais tarde. Vamos à do exercício.
    A regra que nos permite cortar (a-b) diz:
    Pode-se multiplicar ou dividir (dividimos) ambos os membros de uma equação por um número qualquer, diferente de zero, (aqui é que ela bate) que o resultado não se altera.
    Considerámos a=b, logo a-b=0.
    Por isso é que o resultado alterou, já que, na base dez, dois nunca é igual a um.
    Relativamente ao julgamento da História. Deus nos dê vida e saúde para daqui a 10/15 falarmos.
    Abraço.

    ResponderEliminar
  8. Nuno,

    Os 1.400.000 € é o montante inscrito nos Relatórios de Gestão da CMP para a rúbrica "Construção do Parque Subterrâneo da Praça Marquês de Pombal".
    Se foram realizadas outras obras nesta rúbrica foram cometidas irregularidades.
    AM

    ResponderEliminar
  9. Que sorte Rodrigues Marques comentar neste blogue. O que à primeira vista parece nebuloso e inexplicável torna-se claro e evidente. Até falácias...
    É verdade que, com o seu temperamento reinadio, Rodrigues Marques gosta, às vezes, de formular a questão, deixando-nos na expectativa, para, no dia seguinte, explicar tudo e mostrar que, afinal, até era fácil de entender. Mas, enfim, o que seria da política de hoje sem um pouco de espectáculo?
    É claro que esta invulgar capacidade perscrutante de Rodrigues Marques se fica a dever a, como o próprio afirma, saber como o Sr. Presidente da Câmara age e pensa. Exegeta de Narciso, Rodrigues Marques arruma com qualquer debate. Ele sabe, ao contrário de nós, como Sua Excelência age e, mais importante ainda, como Sua Excelência pensa. E, assim, Rodrigues Marques lança luz sobre qualquer tema. Ele explica e, como sabe, fica tudo esclarecido. Perceberam?

    ResponderEliminar
  10. Construir um parque de estacionamento caro, pouco necessário e pouco utilizável, apenas para se agradar a alguns comerciantes locais, é arruinar os que são obrigados a pagar os impostos. É arruinar a geração presente e a geração futura. Melhor seria reduzir impostos.
    O acto de tirar o dinheiro aos contribuintes depauperados para construção de elefantes brancos deveria ser tipificado como crime. Tenham vergonha quando dizem: “fiz, “fiz”, fiz” … “comprei”, “comprei”, “comprei”… O dinheiro gasto é dos contribuintes. Aos políticos compete cobrar apenas o necessário e administrá-lo bem…

    ResponderEliminar
  11. Pois é, mas enquanto se gasta desmesuradamente dinheiro na cidade de Pombal, a minha freguesia (Almagreira) continua sem um único metro de saneamento básico, tem um centro de saúde que é um atentado á saúde pública (dito pelos próprios responsáveis), os buracos nas estradas cada vez são mais e maiores, as crianças do 1º ciclo quando chove,durante o recreio ficam dentro das salas de aula porque não têem coberta exterior para poderem brincar (não há dinheiro...dizem). Se calhar o poder autárquico (Junta de freguesia e Câmara Municipal), pegando no que o sr. Eng. Rodrigues Marques referiu, pensaram "pequenino" para Almagreira...só se investir em parques de merendas e museus etnográficos sejam pensar "grande" e a pequenina seja eu!!!

    ResponderEliminar

O comentário que vai submeter será moderado (rejeitado ou aceite na integra), tão breve quanto possível, por um dos administradores.
Se o comentário não abordar a temática do post ou o fizer de forma injuriosa ou difamatória não será publicado. Neste caso, aconselhamo-lo a corrigir o conteúdo ou a linguagem.
Bons comentários.