30 de março de 2009

Rafeiro

O Rafeiro é um canino sem caninos, que ninguém leva a sério, que ladra porque só ladrando mostra serviço ao dono que o alimenta.
A política está cheia de rafeiros e de sabujos que adulam e mordem à traição, de Eusebiozinhos e de Miquinhas.

8 comentários:

  1. Saiba senhor Eng. Adelino Malho que tenho por si admiração, mas, acho este post debochado.

    Não é de bom-tom a referencia, posso até entender que é ofensivo, sabe, som do tempo em que os engenheiros eram pessoas de outra casta, o povo tinha um tratamento de excelência para alguém que se apresentava como sendo engenheiro.

    Mas, espanta-me que o senhor engenheiro misture caninos com políticos, tenho-o por boa conta, vai o tempo que esta ousadia tinha os seus efeitos, para a falta de educação nada melhor que uns dias na escola de reabilitação de Peniche, outros tempos, outra educação, outro Portugal.

    Avanço se me permite para concluir que deduzo, (o Lucílio também deduziu) que esta coisa dos caninos se refere aos que hoje dão o melhor pelo destino do nosso concelho, olhe, só assim pode pensar quem não contacta com as pessoas em causa, é francamente ingrato porque são pessoas de bom trato, agradáveis, e muito profissionais na vida politica, têm o meu voto porque eu sei dar força a quem desinteressadamente está na vida publica.

    Muito atento.

    ResponderEliminar
  2. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

    ResponderEliminar
  3. É a democracia do funil, sr. administrador do blog?
    Afinal, usa e abusa de "grossaria", e quando o feitiço de vira contra si, remove o post, que nada tinha de insultuoso.
    Para um eleito local, a exercer funções na Assembleia Municipal, orgão representativo do povo, deixa muito a desejar, esta sua atitude.
    Com esta postura, vai ter que remover muitos comentários, lhe garanto!..........
    Um Pombalense

    ResponderEliminar
  4. Senhor Engº.
    Como sabe, com o Nobre Povo, apenas comungo do amor por Pombal. No mais, considero que todos somos iguais em dignidade, em direitos e em deveres de uns para com os outros e no respeito que devemos a todas as criaturas, sejam políticos, advogados, engenheiros ou cães.
    Não faço ideia a que políticos se refere, nem isso tem relevância. Existem os maus e os bons os melhores e os piores. Todavia, estou certo que ao critério de classificação não é alheio a pessoa e os gostos de quem classifica.
    Não sei se quando diz que "um rafeiro é canino sem caninos" está socorrer-se da anatomia ou da metáfora. Uma coisa, com todo o respeito, lhe posso dizer - e, por isso, venho aqui - deveria ter muito respeito pelos rafeiros. Ao contrário do que julga, os rafeiros são caninos com caninos e podem morder com inteligência.
    Se não olhar ao “pedegree” - o que é requisito de objectividade, seja na análise das pessoas ou dos cães - verificará que os rafeiros são o mais honroso e estimável dos cães(1).
    Por mim, em minha casa - incluindo eu - não entram nem espécies nem raças apuradas. Sejam gatos ou cães, costumo recolher alguns aí em Pombal, sem livros de linhagem, filhos de pais incertos mas que ousaram ser livres e pularam as cercas que os prendiam aos donos.
    O nosso Nobre Povo já disse que nós portugueses somos como os rafeiros, sobreviveremos e daremos novos mundos. Só não estamos em melhor caminho porque fecharam a “escola de reabilitação de Peniche”(2). O senhor, às vezes, parece-me ser mais radical. Para si, a via parece ser a do apuramento genético. Haverá também uma solução final? Será usado o crematório ou a injecção letal?
    (1) Pode pensar em sugerir a sua reabertura à Srª Ministra da Educação.
    (2). “Chama-se rafeiro a todo o cão que não tem uma origem definida”. “Existem no mundo mais cães rafeiros do que o conjunto de todas as raças” .” Nos cruzamentos entre raças os extremos atenuam-se, o que significa que um cão rafeiro poderá ser um cão mais equilibrado.” Conforme pode verificar em qualquer manual cinotécnico.

    P.S.: Haja respeito pelos rafeiros! É a minha opinião, não é ofensa!

    J.F.

    ResponderEliminar
  5. Caríssimo JF,

    Penso que foi demasiado longe na interpretação das minhas palavras. Não desrespeitei os rafeiros nem defendi nenhuma solução final para as criaturas. Simplemente os caracterizei nos seus traços fundamentais. Reconheço a utilidade dos irrequietos animais, são um bom chocalho do dono. Longe de mim defender a sua eliminação física, não sou radical a esse ponto, antes pelo contrário, até sou contra a pena de morte.
    Todos têm direito à vida, e a ladrar...
    E os rafeiros fazem-no às claras. Têm, não haja dúvida, a sua dignidade...
    AM

    ResponderEliminar
  6. Quem são os Eusebiozinhos?

    ResponderEliminar
  7. Amigos e companheiros, bom dia.
    O debate sobre a raça canina, parece-me, que está descentrado.
    Vamos centrá-lo. E como cão que ladra não morde, como soe dizer-se, podemos fazer esse exercício.
    Todavia, antes devemos perguntar a quêm sabe quantas voltas dá um cão para se deitar.
    Volta e meia está deitado. É a resposta.
    Assim, respondida que está esta importante questão, vamos a ele.

    ResponderEliminar
  8. Parece o sermão de um padre, não se percebeu nada de nada

    ResponderEliminar

O comentário que vai submeter será moderado (rejeitado ou aceite na integra), tão breve quanto possível, por um dos administradores.
Se o comentário não abordar a temática do post ou o fizer de forma injuriosa ou difamatória não será publicado. Neste caso, aconselhamo-lo a corrigir o conteúdo ou a linguagem.
Bons comentários.