30 de setembro de 2013

As eleições para a Assembleia Municipal (III)

Na sequência do que aqui escrevi, permitam-me que realce os resultados da Assembleia Municipal. Para além do facto do CDS/PP ter eleito dois deputados (e correndo o risco de ser tendencioso), quero agora destacar o resultado da CDU.

A CDU está na Assembleia Municipal de Pombal! É verdade, os pombalenses elegeram Jorge Neves como deputado municipal. Um resultado histórico, pois essa força política já não tinha eleitos no concelho deste 1979, altura em que Joaquim Eusébio foi eleito nas listas da APU  para o mesmo órgão autárquico. 

Mas o momento não é para cantar vitória. Se, durante anos, a CDU apregoou a diferença, está na altura de mostrar serviço e trabalhar seriamente em nome do povo de Pombal.

12 comentários:

  1. Apesar de considerar que as Assembleias Municipais não têm, infelizmente, um papel determinante na condução da vida política dos concelhos (por exclusiva culpa do modelo legal de funcionamento em que assentam), considero que a entrada de duas novas forças partidárias para o parlamento local, só pode ser salutar para a democracia local e para o (ainda debate) que ali se faz.
    Espero que se passe de uma conversa da treta para uma verdadeira quadratura do círculo.

    ResponderEliminar
  2. Bom dia!
    Parabéns ao CDS, à CDU e a Pombal!
    A política Pombalense só têm a ganhar com o reaparecimento destas duas forças políticas na vida política local, se forem bons, vêm seguramente enriquecer o debate e diminuir a subserviência.

    ResponderEliminar
  3. Caro Edgar,

    A tua analogia "conversa da treta" - "quadratura do círculo" tem algum paralelo com os programas homónimos que fizerem história na TV nacional? Se não, queres fazer o favor de me esclarecer onde queres chegar com essa associação?

    Um abraço,
    Adérito

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A analogia refere-se a esses dois programas televisivos, de facto. Mas no aspecto em que num dos programas havia duas pessoas à conversa (analogia com dois partidos políticos) e num outro programa há 4 pessoas a debater (analogia com 4 partidos políticos).

      Eliminar
    2. Este comentário foi removido pelo autor.

      Eliminar
  4. Acredito que a função fiscalizadora da AM vai melhorar. Irão findar alguns silêncios e cumplicidades...

    ResponderEliminar
  5. Boa noite,

    A Assembleia Municipal em Pombal, á imagem de muitas outras por este país fora, serve, não para fiscalizar, mas para legitimar quem está no poder.

    A função fiscalizadora da AM não tem sido, e não será certamente nos próximos anos, exercida de forma plena.

    Por muito que os deputados dos vários partidos da oposição tentem trazer para a discussão os mais variados assuntos, caso se trate dum assunto polémico, ou de alguma forma desconfortável para o PSD, essa tentativa irá esbarrar sempre na vontade de quem manda. Ou seja, quem está no poder é que decidirá que assuntos poderão ser discutidos seriamente na AM.

    Tudo o resto resumir-se á a discursos do “sim” e do “sim senhor” e servirá apenas para o partido da maioria alimentar alguns egos e fazer exercícios de demonstração de poder (com alguns enxovalhos á mistura).

    E nessa altura,
    Ficarei chocado.

    ResponderEliminar
  6. Meus caros,
    A AM em Pombal tem sido uma vergonha. Parte da culpa resulta da "protecção legal" que não a protege/reforça como devia. Outra parte (grande) da culpa resulta da falta de qualidade dos seus ocupantes. Em particular, falta de qualidade "colectiva" (os grupos), e não tanto a qualidade individual de cada uma das pessoas.
    A critica geral mais comum é a do simples aceno de cabeça dos eleitos do partido no poder. É verdade, mas confesso que nao me choca. Não é positiva ou desejável, claro, mas é algo expectável. O mesmo não se pode dizer do, até agora, único partido da oposição. Esse, tem denotado uma passividade dificil de entender, naquele órgão. Uma oposição "educadinha", nada solidária entre si (entre os membros que compoem este grupo), de poucas ideias, e que aparenta querer dizer que, sendo poder, faria exactamente o que o executivo vai fazendo.
    O caso do João Coelho é paradigmático do que, a meu ver, não deve ser um partido na oposição. Deu uma mostra de fraqueza que fez o PSD (desconfio!!!), no seu íntimo, ter pena de tão esfrangalhada bancada.
    A forma como a AM tem sido presidida é, também ela, causa do seu desprestígio. Um presidente de uma AM não pode ter aquele tom "adorador" do seu próprio executivo. Nem pode tão declaradamente permitir diferenças de tom, tempo de discurso ou intromissões no seu trabalho. Na AM, o executivo jogou sempre "em casa", quando era suposto jogar em campo neutro.
    Tenho a expectativa que estas duas novas forças politicas que vão participar nas AM's a enriqueçam, não apenas com novas ideias, com novas e mais vincadas exigências, mas também com menos tolerância a estes "desvios" (serão, no mínimo, actos de mau gosto) do saudável funcionamento da AM.

    ResponderEliminar
  7. Amigos a eleição desses três deputados deve-se a cerca de quatrocentos eleitores qe estão fartos do Sr. Narciso Mota, mas que não se identificam com os outros candidatos á Camara . PSD 13598 para Camara Municipal, 13185 para a Assembleia, so CDU e CDS têm mais votos para a AM do que para a Camara

    ResponderEliminar

O comentário que vai submeter será moderado (rejeitado ou aceite na integra), tão breve quanto possível, por um dos administradores.
Se o comentário não abordar a temática do post ou o fizer de forma injuriosa ou difamatória não será publicado. Neste caso, aconselhamo-lo a corrigir o conteúdo ou a linguagem.
Bons comentários.